28/10/2021

Primeiras impressões do drama ‘Love Affairs – Afternoon’

Por que “Love Affairs in the Afternoon” é muito mais do que se vê?

Enfim, lançou o tão aguardado drama “Love Affairs in the Afternoon” (o drama da sacanagem, dos cornos e do pecado) que muito foi aguardado por alguns, e virado as caras por outros. É um drama do canal Channel A. Não é um canal tradicional, não faz tantos dramas e pelo visto gosta de uma vibe mais alternativa. O foco do drama é demonstrar as relações extraconjugais. Esse drama é muito mais do que aparenta. Quem pensa ou pensou que era putaria 24×24 horas pode tirar o cavalo da chuva. Não é bem assim, o drama é muito mais. E nós estamos adorando. Vamos descrever sem spoiler um pouco mais abaixo.

No entanto, antes de tudo, nós gostaríamos de dizer que se você é do tipo “Sou contra traição” “Para mim, é melhor separar e não trair” “Se fosse comigo seria diferente”. Te fazemos um desafio. Assista apenas os 15 minutos iniciais desse drama e te convido a vir aqui e me dizer o que achou. Depois que você ficar chocada, você pode ir lá e ver o resto do drama. Sem preconceito, sem amarra. Pode pular as partes de romance dos que irão trair (que nem tem agora, pois vai começar a mostrar a relação com os seus respectivos cônjuges) e foque apenas no casamento da protagonista. Só uma dica: Coloca um copo com água perto de você, porque você vai precisar.

Nós, da página Coreanas de Taubaté, também somos contra a traição. Também achamos que é melhor separar do que trair. Que se fossemos conosco seria diferente. No entanto, infelizmente, a personagem é bem diferente de nós (e temos que ter consciência que muitas mulheres são como a protagonista). Para algumas pessoas o casamento é algo arranjado, algo que você deve fazer, mesmo que não goste do seu “escolhido”. Muitas pessoas casam porque amam a pessoa, mas muitas não. E a vida é como um jogo e com muitas surpresas. Nem sempre a ordem dos relacionamentos é namorar, casar e ter filhos. Tem pessoas que namoram, tem filhos e casam. Tem pessoas que vivem a vida toda juntos, mas não casam. E tem pessoas que conhecem a pessoa que irão amar e que as fazem se sentir amadas quando já estão em um relacionamento.
Falando sobre o drama, gostaríamos de citar alguns pontos:

1. Roteiro: É impressionante como o roteiro desse drama está bem amarrado. Como que os detalhes, tanto da escrita como da direção, estão andando em conjunto. Muitas coisas estão sendo deixas subentendidas. Além disso, algo que me cativa e muito em dramas realistas: a simplicidade das cenas. É algo que é de deixar você encantada. Você percebe e sabe que não foi investido milhões de dólares, mas é tão real, que faz você se sentir como se estive dentro daquela cena. Você se sente parte de toda a cena. E isso me lembra My Mister. Só um exemplo: A cena da protagonista no supermercado onde ela está tentando fugir do professor, logo após conhecer ele. É algo tão simples, mas tão significativo, pois foi na hora que ela o conheceu, ela automaticamente percebeu que ele era perigo para ela. Adoramos aquelas cenas do supermercado, além de ser um núcleo cômico, é ali onde ocorreu as melhores cenas até agora.

2. Realismo, sem glamourzinho de quinta e nem farofada: Como as relações estão sendo abordadas. Tanto do casal principal, como do casal secundário, bem como do casamento do professor. No primeiro caso, a prota acredita no casamento, mas não é amada. Acreditamos que nunca foi. O marido não se importa com ela. O realismo nessas cenas são nível hard. Você sente muita pena dela, e nojo dele. E olha que tanto a roteirista como o diretor não usaram daquela tática de deixar ele no chão para elevar à protagonista não. É apenas a vida como ela é. Agora me diz? Isso é romantizar algo? O segundo casal (casal secundário) é a nossa eterna Jennifer. A madame gosta de sexo, gosta de ter affairs, mas não se envolve emocionalmente com ninguém (mas vai mudar quando ela encontrar o desenhista-pintor-artista bruto, rústico e sistemático). O engraçado é que ela fala isso de maneira aberta para a nossa protagonista bobinha. É um diálogo que pensamos que iria demorar a ver na Coréia, mas não, meteram no drama dos cornos sem dó. Claro que AMAMOS. O terceiro casal, o professor e a sua esposa, deu para perceber que o amor acabou há algum tempo. A esposa, pelo que vimos até agora, preferiu focar na carreira e acabou que o casamento ficou em segundo plano. Ela está errada? Não, até porque não sabemos se eles realmente se amavam no início. Mas sabemos que o amor pode esfriar (ou se o amor for fraco) isso pode acontecer quando se toma essa decisão.

fofos2.jpg

3. Ainda nesse lance de realismo, não poderia de ter aquele personagem, né? E qual é, Coreanada? A sogra: A sujeita peculiar e que faz o nosso ranço elevar a nível hard em dramas coreanos. Mas nesse drama ela é ainda mais peculiar. Ela tem a chave da casa da nora, fiscaliza a nora para engravidar porque ela quer o neto, baixa a autoestima da nora até o subterrâneo. Enquanto isso, a coitada fica só na defesa.

4. Elenco: E esse elenco, hein minha gente? Excelentes escolhas, tanto que parece que nasceram para esses papéis. A prota sofredora tem uma carinha de ingênua que a gente quer colocar num pote, e matar o marido traste. E o que falar do professor? Quando a pessoa já nasceu para o personagem. Ele tem um ar tão ingênuo, mas de ser tão correto. Quando a prota fala: “Você é casado?” Ele responde: “Sim. Eu tenho cara de solteiro?” Ela não respondeu, mas do lado de cá, gritamos. Sim, você tem cara de solteiro, mas ao mesmo tempo de respeitar as pessoas e ser correto. Estamos ansiosas pelo encontro dos dois. A Jennifer está maravilhosa naquela vibe pegadora. E o que falar do ator que fará seu amante? O homem tem toda a estrutura de ser um pegador e que não se apega a ninguém, bem fechado, e que aparenta não gostar de demonstrar os seus reais sentimentos. Estamos ansiosas para ver esses encontros de almas.

5. Outro fato bastante interessante é que o drama não se passa em Seul: Se passa em uma cidade pequena, então, acabamos por ver toda a dinâmica de uma cidade pequena. É uma experiência diferente das que estamos habituadas a assistir.

6. Esse drama é um remake de um drama japonês de 2014 que se chama “Hirugao: Love Affairs in the Afternoon”.

Na entrevista de lançamento do drama, o diretor teve que esclarecer em entrevista que o objetivo dele não era romantizar a traição, mas sim mostrar uma parte verdadeira, humana e bem real dos relacionamentos. Principalmente lá na Coréia, onde a taxa de traição vem aumentando nos últimos anos. Até agora, para nós, ele vem conseguindo.

Isso são apenas alguns pontos que gostaria de citar. Vamos fazer um videozinho curto sobre esse drama. Ficamos muito animadas, pois é muito mais do que esperamos. Mas, e agora? O que esperamos dos personagens? Esperamos que o nível seja mantido, que a mocinha seja feliz, que largue o traste do marido e seja feliz com o professor que está cheio de amor para dá também. Que a Jennifer resolva os problemas do seu passado e seja feliz também.

Independente do final desse drama acreditamos que pelo que foi mostrado, já podemos nós colocar no lugar dos protagonistas e analisar os nossos relacionamentos e sermos cuidadosos para não cometemos os mesmos erros.

Você gostou do drama dos cornos? Gostaria de ver outro na mesma vibe?
Recomendamos “On the way to the airport” tem no Mahal Fansubs.

Onde assistir o drama dos cornos? Drama fansubs e Star fansubs.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores originais e não refletem necessariamente a opinião das Coreanas de Taubaté.

Aline Silva
Aline Silva

31 anos. Fundei às Coreanas de Taubaté em Março de 2019. Entre idas e vindas sou dorameira há mais de 4 anos. Meus estilos preferidos são os Melodramas e Slice of Life. Meus dramas preferidos são: My Mister, Mother, SKY Castle e Thank You.

One thought on “Primeiras impressões do drama ‘Love Affairs – Afternoon’

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: