27/11/2021

Primeiras impressões do drama ‘Vagabond’

Vagabond finalmente estreou. E o que pensar depois desses dois primeiros episódios?

Vem que às Coreanas aqui irão te contar.

Falando de mim (Aline), eu não estava esperando por esse drama como as minhas amadas amigas de páginas, a Talita e a Giovanna. Até pensei que não iria acompanhar. No entanto, acabou que cliquei sem compromisso na Netflix. E, sinceramente, assim como elas estou gostando bastante. Todo mundo falando que estava muito bom. Então, lá vou eu verificar para falar bem ou mal.

Alguns pontos para se destacar:

  • A temática: O tema principal desse drama é o terrorismo atrelado a um esquema político e comercial criminoso. No primeiro episódio fomos presenteadas com a cena do avião e a morte do sobrinho do prota (não é spoiler, tem na sinopse). Cena chocante, real e para mim bem produzida. No entanto, enquanto muita gente chorou, esse acontecimento trouxe consigo várias dúvidas para a história. Não poderia ser diferente. É o plot twist que já vinha escrito na sinopse. Por exemplo, como o “terrorista” saiu vivo? Ou, será que não é apenas alguém muito parecido com ele? Tipo, um irmão gêmeo. A primeira cena do drama é o prota (Lee Seung Gi) com a Suzy na mira. Mostrando que ela poderia ser do outro lado da força. Por falar nisso, é algo que ainda não ficou claro. Qual o seu real lado. Como ainda é muito cedo, pensamos que esse dilema ainda se estender durante os episódios. Então, são várias perguntas que serão respondidas no decorrer do episódio. Ansiosas por essas e muitas tretas que ainda irão rolar.
  • As tomadas de cenas: As cenas de ação foi um ponto a parte. É notório que houve um investimento elevado na produção. Também não pode ser deixado de lado que o diretor é muito bom. Não basta apenas ter o dinheiro (investimento), tem que haver o conhecimento e envolvimento do profissional.
  • Atuação dos atores: Com a exceção da Suzy (desculpem as fãs), todo o elenco principal e o secundário mandaram muito bem. A atuação do ator mirim foi tão apaixonante. Tão pequena e tão significante. Conseguiu com que a gente se apegasse no personagem com apenas um episódio de tela. O Lee Seung Gi também deu um show à parte nesses episódios iniciais (o personagem de ação se encaixou bem e até nas cenas mais emotivas). A ahjumma que fala inglês também. É um personagem com muito potencial. Já deu para perceber que ela tem muito poder. E a interpretação foi Mara. Acreditamos muito no potencial das histórias secundárias e dos atores também.
0f2be60def9bd1f07d2fb5f26a047e3826c57bf8
  • Romance: Embora uma carga de romance já esteja envolvida nesse drama desde a sinopse e escolha dos atores, acreditamos que não será focado tanto nisso. E, para nós, o fato de não focar tanto no romance é algo positivo. Esse drama tem muita treta, e por envolver a morte de uma criança (como o centro da história) um romance meloso pode tirar o foco da treta. Além do que, o romance pode estragar um drama que tem muito potencial para estender em outros assuntos que para mim são mais valiosos. São inúmeros os casos onde o drama não tinha como foco o romance, e acabou que se perdeu o foco, pois deram uma focada excessiva no romance. Não gostaríamos que isso acontecesse em Vagabond.
  • Produção que nem parece ser coreana em alguns pontos: Não sabemos até que ponto isso é positivo ou negativo, mas achamos que em alguns momentos o drama nem parecia ser coreano. Esse foi um drama pensado tanto para o público coreano como internacional. Um desses sinais é que o drama foi dublado em várias línguas. Com isso, o drama se torna mais acessível, principalmente para quem não consegue ou não gosta de ler legenda. Ou que tem limitação com o idioma.

Depois disso tudo estamos animadas para acompanhar o desenvolvimento das histórias, tanto principais como secundárias. Outro ponto é observar a evolução dos personagens.

E ai? Quem estava esperando Vagabond estrear? O que acharam?
Valeu a pena esperar o lançamento de Vagabond?

Conta para nós.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores originais e não refletem necessariamente a opinião das Coreanas de Taubaté.

Aline Silva
Aline Silva

31 anos. Fundei às Coreanas de Taubaté em Março de 2019. Entre idas e vindas sou dorameira há mais de 4 anos. Meus estilos preferidos são os Melodramas e Slice of Life. Meus dramas preferidos são: My Mister, Mother, SKY Castle e Thank You.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: