24/10/2021

Resenha: My Mister

Por dentro de:
my mister/my ahjussi

– análise critica por rez –

Como dizia o compositor de músicas contemporâneo renascentista, 50 cent, “Fique rico ou morra tentando”. Mas vou adaptar isso para a minha realidade e dizer, “escreva sobre My Mister ou morra tentando”, que basicamente tem o mesmo efeito sobre mim.

Botei na minha cabeça que era um objetivo de vida como dorameira escrever algo que eu achasse decente, e para mostrar pro mundo, o que eu acho do meu drama favorito.

Ponderei diversas vezes se deveria escrever e falava constantemente para mim mesma, “R., você não escreve bosta nenhuma”… então foi pela minha pobreza de justificativa, deveras piegas ou excesso de loucura, que decidi topar essa empreitada sem pé nem cabeça de juntar dados, fatos, opiniões, comentários, fotos, gifs, tudo possível, sobre essa obra chamada My Mister. Não digo que estou sã ao fazer isso, mas pelo menos quero morrer… tentando.

1_4xdZM_DmE-6rJADzwmZBTA.gif

Vamos começar?!

Ficha técnica:
Drama: 나의 아저씨 – My Mister/ My Ahjussi
Diretor: Park Won Suk
Escritora: Park Hae Young
Rede: tvN

My Mister foi pela primeira vez ao ar no dia 21 de março de 2018, ocupando o horário das 21h 30min, nos dias de quarta-feira e quinta-feira.

Sinopse:

Um homem de 40 e poucos anos, suporta o peso da vida. Uma mulher nos seus 20 e poucos anos passa por difíceis experiências, mas também suporta o peso de sua vida. Esse homem e essa mulher se conhecem e naturalmente ajudam um ao outro.

Dong Hoon (Lee Sun Kyun) é casado com Kang Yoon Hee (Lee Ji Ah). Sua esposa está secretamente tendo um caso com um executivo (porém mais jovem que Dong Hoon) na empresa de construção que ele trabalha. Yoon Hee quer se separar de Dong Hoon e casar com o tal executivo, Joon Young (Kim Young Min). Dong Hoon também tem dois irmãos que vivem com sua mãe. O mais velho, Sang Hoon (Park Ho San), não possui um trabalho e está separado de sua esposa. E Ki Hoon (Song Sae Byeok) é o mais novo e ele quer ser um diretor de cinema.

Enquanto isso, Ji An (IU) vive em uma situação difícil. Ela sustenta a sua avó que não consegue se mover por conta própria. Ji An também está demasiadamente em débito e é perturbada pelo agiota (Chang Ki Yong). Ela trabalha como uma funcionária temporária na empresa de Dong Hoon.

ATORES E SEUS PERSONAGENS

LEE JI AH/Kang Yoon Hee

LEE JI EUN (IU)/Lee Ji An

LEE SUN KYUN/Park Dong Hoon

PARK HO SAN/Park Sang Hoon

SONG SAE BYEOK/Park Ki Hoon

OH NA RA/Jung Hee

KIM YOUNG MIN/Do Joon Young

SON SOOK/Bong Ae

JANG KI YONG/Lee Kwang Il

KO DU SHIM/Byeon Yo Soon (Mama Park)

KWON NA RA/Choi Yoo Ra

PARK HAE JOON/Monge Gyeomduk (Monge)


TEASERS

Fazendo uma pequena menção dos Teasers, como eu estava acompanhando o lançamento do drama, eu fiquei na dúvida se era um drama de comédia ou apenas uma “dark comedy” (humor negro), no sentido de que: tenho uma vida bosta, do que adianta eu chorar? É normal pensar que é de comédia, pelo tom que deram aos teasers, mas achei um movimento bem ousado e interessante por parte do diretor.

CONTROVÉRSIAS E DESFALQUES

A atriz Lee Ji Eun (IU), na época, estava sendo alvo de ataques cibernéticos pois estava sendo taxada de “Lolita” e fazer apologia à pedofilia por conta da sua música “Zezé”, baseado no livro brasileiro “Meu Pé de Laranja Lima”. O diretor Kim Won Suk queria que ela fizesse o papel de Lee Ji An, mas ela estava preocupada por conta da sua controvérsia que poderia prejudicar e tirar o foco do drama.

Pelo fato da atriz contracenar com um ator (Lee Sun Kyun) 18 anos mais velho que ela, pelo nome do drama ser “My Mister” (“Meu Homem”), e pelo protagonista ser casado, as pessoas (haters) acharam que ela mais uma vez estava fazendo o papel de Lolita e ela sofreu bastante com esses ataques.

Com essa mudança de foco do drama, o diretor Kim Won Suk, em uma comitiva de imprensa que a Lee Ji Eun (IU) queria fazer, disse: “O título My Mister não significa “Meu Homem (Senhor)”, mas significa que os estranhos se tornam pessoas íntimas… My Mister é semelhante a Misaeng ou Signal no sentido de que é uma história de convivência” disse Kim Won Suk, diretor desses 3 dramas citados.

Captura_de_Tela_2019-05-25_às_02.38.13.p
IU - analise.jpg
pdh 8.png

Pegando essa linha da controvérsia da IU, nos fóruns de My Mister que existem, as pessoas estavam esperando uma protagonista um pouco mais velha, chegaram a citar a Kim Go Eun (Cheese on the Trap, Goblin), por ela ter 27 anos na época. Também cogitaram que a protagonista seria alguma mulher na faixa dos 30 anos. Achei engraçado pois a IU tinha 25 anos, a Kim Go Eun era apenas 2 anos mais velha… o que necessariamente mudaria?

Dado a isso, gostaria de entrar na séria questão do “age gap” (diferença de idade”). A Kim Go Eun ao contracenar com o Gong Yoo, a diferença era de 13 anos, sem contar que o Goblin tinha 939 anos e a personagem dela tinha apenas 17 (indo fazer 18, mas ainda sim, não tinha experiência amorosa). E Goblin é mundialmente amado pelos fãs.
Outro casal amado é a Kim Tae Ri e o Lee Byun Hun em “Mr. Sunshine”, tendo 19 anos de diferença entre eles, sem contar seus personagens que possuíam no mínimo 10 anos de diferença.
Ou até mesmo o Lee Seo Jin e a UEE em “Marriage Contract”, 15 anos de diferença. Nem se fala então em “The Prime Minister and I” onde Lee Beom Soo com a Yoona possuem uma diferença de 20 anos.

Porque então a IU x Lee Sun Kyun era um grande problema?

Ps.: Abrindo um espaço para os “romances noona” (que inclusive amo tanto quanto), percebo que esses são menos atacados do que quando a diferença é contrária. “Secret Love Affair” a diferença entre o casal principal é de robustos 20 anos, e não vi os coreanos fazendo um grande alarde.

age gap.jpg
age gap-4.jpg
age gap-2.jpg
age gap-3.jpg

park-hae-young.jpg

Sobre a escritora, sabemos que a Park Hae Young escreveu o drama “Another Oh Hae Young”, mas ela disse que o roteiro de My Mister estava pronto antes de “Another Oh Hae Young” e que ela estava esperando o momento oportuno para pegá-lo.

Dizem que existe um roteiro original que teria um possível caso dos protagonistas, mas que com toda a controvérsia já instalada entre os coreanos, ela decidiu refazer algumas partes do roteiro. *É um assunto delicado, por isso entrarei em mais detalhes a diante.

Park Hae Young ao ganhar o 55º Baeksang Arts Awards de melhor roteiro disse: “Obrigada. Um escritor apenas escreve o roteiro e o resto depende dos outros. Eu amaria agradecer à equipe, atores e ao diretor Kim Won Suk por fazer um drama tão maravilhoso. E por ultimo, obrigada à todos os espectadores por darem o suporte também. Obrigada.” Fada humilde!

Captura_de_Tela_2019-05-25_às_02.19.20.p
oh-dal-su.jpg
park ho san.jpg

O ator Oh Dal Soo, conhecido pela sorte que trás aos dramas e filmes que faz, foi acusado no dia 15 de fevereiro de 2018 através de um comentário anônimo acusando o ator de assédio sexual na década de 1990 quando ela trabalhava como atriz de teatro em Busan, mas o comentário foi deletado pela mesma pessoa. Oh Dal Su negou tais acusações no dia 26 de fevereiro de 2018. No mesmo dia, a pessoa que originalmente escreveu o comentário apareceu no jornal da JTBC com a sua identidade escondida. Ela acusou Oh Dal Su de estupro. O ator negou a acusação. No dia 27 de Fevereiro uma outra mulher apareceu no noticiário da JTBC e acusou Oh Dal Su de assédio sexual em 2003. Sua identidade foi mostrada na televisão. Depois dessa entrevista, a equipe de “My Mister” conversou com o ator que concordou em desistir de fazer o drama.

Com sua saída, o ator Park Ho San entrou em seu lugar. Na época foi um grande problema, pois já tinham filmado uma boa parte do início com Oh Dal Su e gravando tudo de novo ia demandar um certo tempo perdido. Então a equipe trabalhou dobrado para recuperar e entregar um drama de qualidade no tempo certo.

Eu particularmente fiquei bastante chateada com as ações do ator, já tinha visto um filme dele com a Bae Doo Na uns tempos atrás e tinha gostado de sua atuação. Mas ao ler sua carta de desculpas confessando as ações que fez, eu apenas senti repulsa. Hoje não imagino o Park Sang Hoon sendo nada mais nada menos interpretado pelo Park Ho San!

Captura_de_Tela_2019-05-25_às_02.34.50.p
na-moon-hee.jpg

Antes da retirada do Oh Dal Su no drama, a excelente atriz Na Moon Hee desistiu de fazer a mãe dos irmãos Park no drama. Ela alegou na época que as filmagens do drama iriam interferir com outras de um filme que estava fazendo (A Little Princess).

Após vê-la no comovente filme “I Can Speak”, eu tinha ficado muito contente com a sua escalação. Ela ia dar o tom dramático perfeito para o papel de mãe dos 3 irmãos.

Pois quem viu a personagem Byeon Yo Sun, viu que era sofrida, a sua pele e a falta de cuidado com os cabelos revelavam isso. Ela teve que sustentar os 3 filhos após a morte do marido, trabalhou muito e mesmo quando ela devia descansar continuava fazendo marmita para os 2 filhos levarem pro trabalho.

Penso que a Na Moon Hee teria feito esse trabalho com esmero, entretanto, quem a substituiu foi a Go Doo Shim, que é tão boa quanto, e deu um show de atuação sendo mãe desses 3 marmanjos!

No final das contas, acabei gostando da troca! <3

Captura_de_Tela_2019-05-25_às_02.30.07.p

sobre o drama

“My Mister” ou “My Ahjussi” conta a história de pessoas que estão quebradas pela vida e que passam momentos de dificuldades ou tristeza. O bom desse drama, é que embora tenha os protagonistas, ele também foca nos outros personagens que estão em volta desses 2 principais de uma maneira nada egoísta e deixa a gente os conhecer, os sentir e os amar.

O drama vai focar mais na vida do Park Dong Hoon e da Lee Ji An. Dong Hoon tem 40 e poucos anos e é o filho do meio de uma família de 3 filhos. O mais velho se chama Park Sang Hoon e o mais novo se chama Park Ki Hoon. Embora na sociedade coreana seja uma obrigação “silenciosa” do filho mais velho cuidar da família e de suas ramificações, Sang Hoon não tem condições de cuidar de sua mãe e nem da sua mulher e filha. Então cabe ao filho do meio, Dong Hoon, de fazer esse papel. Os três são pessoas inteligentes, porém Dong Hoon foi o único que obteve sucesso na vida, por assim dizer. Sang Hoon primeiramente aceitou suborno da empresa que trabalhava e foi demitido e depois tentou criar a sua própria empresa mas falhou, o deixando assim endividado com agiotas e Ki Hoon foi dado como um gênio do cinema que teve seu ápice na carreia rápido demais assim como o seu declínio. Sendo assim, os dois não têm nenhum tostão e vivem com a mãe.

PDH e a sua esposa, Kang Yoon Hee então levam o peso da vida de serem os responsáveis pela família Park. Vale deixar claro que a sua esposa ganha mais do que ele e diversas vezes dá a entender que é ela quem ajuda mais (embora os dois dividam quase por igual as responsabilidades financeiras). Eles também tem um filho de 12 anos Ji Seok, que mora com a irmã da Yoon Hee, nos Estados Unidos.

Já Lee Ji An, é uma mulher de 21 anos, ela foi “abandonada” pela sua mãe quando era criança e vive com a sua avó desde então. Sua mãe tinha problemas com um agiota, ela devia muito dinheiro para ele e por causa disso fugiu sem deixar rastros deixando a LJA encarregada de pagar a sua dívida. Sendo assim, a vida da nossa protagonista nunca foi de fato feliz, ela vive um dia de cada vez, tentando pagar o que sua mãe devia. LJA é uma personagem marcante, que mesmo com várias dificuldades, ela cresceu forte e determinada. Porém isso também a fez ser uma pessoa fechada para o seu exterior, tendo apenas 1 amigo, Song Ki Beom, e sua avó de companhia (que por um acontecimento fatídico fica debilitada fisicamente e surda).

entrevista e 1º leitura de roteiro

ps.: na 1º leitura do roteiro o ator Oh Dal Su ainda não tinha se envolvido com as acusações de assédio sexual, então ele aparece no vídeo como Park Sang Hoon.

COMO OS PROTAGONISTAS SE CONHECEM

Park Dong Hoon é um engenheiro estrutural que trabalha para uma empresa de arquitetura, Saman E&C. Lá tem vários departamentos e ele é o chefe do Departamento de Inspeção. Ele basicamente faz vistorias em prédios antigos e dá o aval de se o prédio estaria em boas condições ou não (se não está em boas condições o prédio tem que ser reforçado). Ele tem o costume de ser um cara meticuloso e que dá muitas “notas Cs”, e isso consequentemente afeta o seu trabalho dentro da empresa, porque o diretor, Yoon Sang Tae, não gosta de enrolação e pepinos que a equipe do Dong Hoon trás.

Então por isso e diversas outras coisas, a empresa está meio que dividida. Como um tabuleiro de damas.

CEO da Saman E&C

Vice Presidente

da Saman E&C

(Do Joon Young)

Diretor Executivo

da Saman E&C

(Wang Young Geun)

Diretor da

Saman E&C

(Yoon Sang Tae)

Diretor da

Saman E&C

(Park Dong Woon)

Diretor da

Saman E&C

(Jung Chang Mo)

Chefe do Time de Inspeção

(Park Dong Hoon)

Funcionária Temporária

da Saman E&C

(Lee Ji An)

chantagista e chantageado

My_Mister-Lee_Young-Suk_(1959).jpg

Inimigos



Neutros que foram afetados de alguma forma

Faxineiro do Prédio e conhecido da LJA

(Seo Choon Dae)

A relação do Dong Hoon com a Ji An estava por assim dizer, predestinada, pois acontecem vários fatoress que os aproximam mas que talvez se fosse com outra pessoa, que não tivesse a paciência do Dong Hoon, ela teria chutado a barraca e não teria feito tal aproximação. Por isso que eu gosto de dizer que tudo gira em torno da empatia que ambos sentiram. Foi coisa que timing, momento… algo que não acontece com facilidade, onde as chances de ter dado errado eram muito altas.

Eles vão se conhecer no meio desse emaranhado de tretas e problemas na empresa. Por alto, LJA vê como oportunidade de se livrar do agiota, passando a perna no PDH, sem se importar com a situação dele, ela não o vê como ser humano, apenas como um chefe de um departamento que ganha muito dinheiro portanto ela não tem a empatia de pensar que ele tenha dores ou problemas. E no momento em que ela passa a perna nele mas vê que seu plano não dá certo, ela volta atrás e o ajuda de certa forma (o que vai fazê-la ficar bem aos olhos dele).

obrigado.gif

Mas LJA ela tem uma conduta: a sobrevivência. Ela não vai tentar pagar o agiota sempre de maneira limpa e honesta, pois honestidade para ela custa caro, e ela não tem tempo a perder pois o agiota a machuca e pode machucar a sua avó. Portanto ela vai procurar sempre a maneira mais rápida e efetiva. Mesmo que isso queira dizer passar perna nos outros e fazer coisas que não são eticamente aceitáveis e isso é muito difícil a priori para o espectador entender e se identificar, pois a maioria de nós nunca tivemos que passar por uma situação tão crítica dessas.
Sem contar que o Dong Hoon não é um cara qualquer, ele é um cara justo e honesto e não merece ser passado a perna então o início do drama bota a prova para o espectador pensar mais a fundo sobre esse sentimentos mistos entre a nossa anti-herói e o nosso mocinho.

Fazendo um “pacto” com diretor da empresa, ela vai cobrar dele 1 milhão de won pela demissão do Park Dong Woon e 1 milhão pela do Park Dong Hoon. Primeiro ela faz com que o Diretor Park Dong Woon seja afastado da empresa (esse que mais tarde vai juntar forças com seus aliados para reverter a situação) e depois ela vai tentar demitir o Dong Hoon insinuando que tem um caso com ele (divulgando no chat da empresa, anonimamente, uma foto comprometedora), já que a empresa não admite relação amorosa entre funcionários.

kiss.gif

Esse plano não vai funcionar, obrigando-a passar para o plano B, que era instalar um escuta no celular dele, pois ela precisava saber se ele estava de conluio com o Park Dong Woon e aliados e qual era o plano deles para então reportar ao DJY.

Tal atitude que é até mesmo duvidosa para nós, de grampear o celular de uma pessoa, é o ponto da trama que vamos ter um certo plot twist mental e até espiritual da própria protagonista. Isso vai a beneficiar de duas maneiras: uma interna e outra extera.

1) Interna: Escutando quase que 24 horas a vida do Dong Hoon, LJA vai perceber que esse cara que ela não dava a mínima (que achava que a vida dele era perfeita e nos padrões da sociedade coreana), estava perto de morrer de infelicidade, que sua vida conjugal estava praticamente morta e que seus irmãos estavam na pior.

E saber que ele mesmo com esses problemas ainda é uma pessoa boa, atinge LJA de uma maneira que ela começa a ter vontade de ajudar ele a melhorar. Então mesmo ela trabalhando para o DJY porque precisa dos bilhões de won, ela vai tentar tirar o PDH a todo custo da reta, mesmo que isso implique enrolar o próprio DJY.

dh.png
dh1.png

“Eu me perguntava como alguém

poderia aparentar tão entediado”

“Você parecia tão entediado quanto eu”

dh2.png
dh3.png

“quando ganha mais de 5 milhões (de won) por mês”

“Você está lutando através da sentença de seriedade da vida”

2) Externa: A segunda é externa porque não depende só dela e da própria vontade. A primeira iniciativa parte do PDH que fala que ela é uma boa pessoa após tê-la ajudado com a sua avó. A princípio ela não dá muita importância nas suas palavras, pois ela está acostumada e receber ajuda das pessoas de duas maneiras: de graça mas depois da 4 vezes (em média) elas somem, ou se oferecem a ajuda elas querem algo em troca. Assim sendo, o mundo da ajuda, aquele que não pede nada em troca, a LJA não conhece.

WhatsApp Image 2019-08-20 at 21.51.28.jp

“Ele é uma boa pessoa, certo?”

WhatsApp Image 2019-08-20 at 21.51.28.jp

“É fácil para as pessoas que possuem dinheiro serem boas pessoas”

Mas tudo muda quando ela peita o agiota que quer entrar em sua casa e ela acaba levando uma surra dele por isso. Gostaria assim deixar claro a importância da empatia e de demonstrarmos sempre que pudermos para o próximo. A gente nunca sabe quando a pessoa está passando por um momento difícil ou não. E as palavras do PDH para ela, para uma mulher que teve uma vida difícil em apenas 21 anos de existência caíram como luva e a confortaram de uma forma que nem um gesto teria surtido mais efeito.

IMG_0164.JPG

“Você é uma boa pessoa”

Já para Dong Hoon, a gente percebe que por causa da sua situação, casado e bem mais velho, ele vai lutar internamente com algo que ele nem sabe ao certo o que é. Então o drama dá aos espectadores pequenas demonstrações ao longo dos episódios, tão pequenas que obriga a audiência ter uma sensibilidade maior, necessária para perceber que um cara casado não tomaria certas ações, que ele precisaria estar gostando (no sentindo amoroso) dela para poder fazer isso, porque o Dong Hoon é um homem de família e não seria por qualquer coisa que ele ficaria balançado.

2 thoughts on “Resenha: My Mister

  1. Eu simplesmente amei esse drama. Mexeu demais comigo ver a empatia dos dois e como o amor supera o contato físico. Os gestos e olhares diziam coisas lindas que nenhum beijo ou outro ato conseguiria demonstrar. Gostei do texto de vcs. Ainda querendo saber sobre os episódios especiais do nosso lugar secreto. Amo essa série e dou muito valor ao que a história bem apresentar. Saio do convencional e achei o blog de vcs sensacional.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: