20/10/2021

Resenha: The Great Show

 

Ficha Técnica

Título: The Great Show

Diretor: Shin Yong Hwi

Escritor: Seol Joon Seok

Rede: tvN

Episódios: 16

Data de lançamento: 26 de Agosto de 2019 a 15 de Outubro de 2019

Idioma: Coreano

País: Coréia do Sul

Sinopse: Wie Dae Han é um ex-legislador e é um tipo materialista de político. Ele quer ser eleito como legislador novamente. Um dia, Da Jung, uma garota de 18 anos, vem até ele. Ela diz a ele que ele é seu verdadeiro pai. Sua mãe criou quatro filhos, incluindo Da Jung, sozinha, mas morreu em um acidente de carro. Da Jung é a única que agora cuida de seus três irmãos mais novos. Wie Dae Han aceita Da Jung e seus 3 irmãos mais novos. Ele realiza um “The Great Show” para se tornar um parlamentar novamente.

the great show 1.jpeg

“The Great Show” foi aquele drama que eu não estava esperando muita coisa. Comecei a assistir por causa dos teasers/fotos. Queria algo mais leve, algo mais familiar, pois quando li a sinopse pensei que seria isso. Imaginei que seria mais um drama de boa, com uma vibe 80% familiar e 20% política, mas foi o contrário. E teve um motivo para ser assim. Eu amei, pois adoro treta política, mas muita gente não gostou. Eu compreendo. Embora recomende esse drama principalmente para você que não curte muito política, pois “The Great Show” tratou do assunto eleitoral de maneira relativamente leve e informativa. E, ainda foi muito mais que isso.

A tvN mostrou que está vivíssima na questão das tretas frente a sociedade coreana. O ponto principal desse drama é falar sobre a estrutura familiar. Mostrar para a sociedade coreana que família é muito mais do que ter o mesmo sangue. Mesmo que esse tipo de assunto não seja tão novo para nós, em nível de Coréia é muito importante esse tipo de relação afetiva ser demonstrada em um drama, pois a sociedade de lá é muito conservadora. Além disso, o drama falou sobre bullying na internet (whatsapp e afins), gravidez na adolescência e sobre escolha. Como uma única escolha pode mudar a vida, não só de uma pessoa, mas de várias.

Embora tenha relatado muito do sistema político, não achei que o drama ficou chato, pois o roteiro e situações que aconteceram sempre estavam agitando não só a vida do ex-deputado como a nossa. Em alguns momentos parecia que estávamos em uma montanha russa de emoções e situações. Na parte política, acredito que foi de certo modo inovador, pois mostrou como a internet pode influenciar na escolha do eleitor. Como as fakes news (noticias falsas e/ou boatos) atuam para manipular a informação e a escolha pública. E também como que isso pode afetar a carreira política e a vida pessoal da pessoa que está envolvida na disputa. Não é apenas um candidato que está ali, mas sim uma pessoa. E quando você envolve família (como no caso de “The Great Show”), você não envolve apenas o candidato, mas todas as pessoas que o candidato ama.

Como envolve política, também envolve dualidade. Algo que nem sempre as pessoas estão habituadas. E a política é a arte do ajuste. Você tem que se ajustar ao meio. Veja. Não estou falando sobre relações escusas, mas sobre conversa/aliança. Quando você é político você tem que conversar e fazer conexões com quem você não concorda a nível de ideologia, mas também a nível de caráter, pois todos ali foram escolhidos de maneira democrática e estão (ou deveriam estar) lutando pela melhoria da população. O drama também mostrou como pessoas que fingiam serem inimigos na frente das câmeras, eram “amigos” por trás delas. Qualquer relação com a realidade não é mera coincidência.

Mas, então. O que seria o “Great Show” no meio disso tudo? Nada mais era do que fazer uma campanha usando a família para a disputa. Devido a circunstâncias do destino, o deputado ficou com má reputação. Então, ele precisa de “algo” para mudar a opinião pública. Quando as crianças aparecem (de forma totalmente aleatória) ele percebe que pode ser uma boa oportunidade de aproveitar. É sacana. Eu sei, mas como imaginávamos, ele acaba se apegando as crianças e desenvolve toda uma relação linda demais da conta. Para mim, o “Great Show” atingiu o seu ápice a partir do episódio 14, com o uso excessivo da internet. Algo que aconteceu na nossa última eleição. E por ter sido relatado em um drama coreano, possa ser que seja tendência por lá também.

O drama vai começar relatando o que aconteceu há quatro anos até o presente. Então, vamos falar um pouco mais sobre os personagens principais desse drama? E como eles envolvem todos os outros fatores.

the great show 3.jpg

“The Great Show” é sobre Wi Dae Han (Song Seung Heon), um político de carreira. O que quer dizer político de carreira? É a pessoa que se preparou para isso. Confesso que no início, ele usou de maneira mau caráter o fato dos irmãos serem órfãos, pois ele queria limpar a sua barra, mas ele tinha um coração bom (veremos com o passar dos episódios). Ele tem um espírito de querer ajudar os pobres, mas ele sabe (porque ele é muito inteligente) que sem poder não chegará ao objetivo alcançado, pois para ofertar melhoria para os mais necessitados, ele precisará ter poder, ou seja, se tornar um deputado.

Estava tudo correndo bem na disputa eleitoral. No entanto, tudo muda quando ele acaba adquirindo uma personalidade de “pecador” dias antes da eleição. O seu oponente Kang Kyung Hoon (Son Byung Ho) acaba soltando um vídeo na internet onde o Wi Dae-Han ignorava o seu pai, quando ele estava tentando falar com ele em um “comício”. Para piorar a desgraça, o pai dele morre dias depois. Ele tenta demonstrar remorso, mas não surtiu efeito e ele perde a corrida eleitoral. O que NINGUÉM sabe é que os seus pais eram separados, pois o pai traiu a sua mãe. Na época da separação, o pai pede para ele escolher com quem vai ficar, e se escolher a mãe nunca mais o verá. Uma situação absurda, mas que pode acontecer, infelizmente.

Com esse cenário desolador, e com a sua carreira política quase acabando, o nosso ex-deputado é apresentado a 4 crianças (na verdade 2 crianças e 2 adolescentes). Então, ele decide usá-las para se livrar de sua personalidade “pecadora”. E como isso acontece? A filha mais velha, Han Da Jung (Noh Jeong Eui), pensou que Dae Han era seu pai, pois sua mãe tinha tido um relacionamento com o deputado quando eles tinham por volta de 20 anos. Foi apenas uma noite, mas a mãe dela tinha certeza que era dele. No entanto, após o deputado fazer um exame, descobre que não é pai, tornando a situação da família única. Agora ele não está relacionando com nenhum dos quatros. No entanto, ele decide fazer um “Great Show” e mostrar para o público (eleitores) que é uma ótima pessoa, com uma família de quatro pessoas que não estão relacionadas por sangue, mas que se amavam. No início era mentira total, mas com o passar dos episódios ele foi conhecendo cada um dos integrantes dessa família. Os gêmeos de oito anos que tinham problemas psicológicos como distúrbio de atenção e ansiedade. O adolescente rebelde que se sentia rejeitado e chorava embaixo do lençol. A adolescente que assumiu o papel de mãe, e por isso era chata e se importava demais, e que teve a sua vida virada de cabeça para baixo quando descobriu que estava grávida. Gravidez na adolescência algo que pensei que seria fake, mas que foi retratado de maneira interessante. Vou comentar mais abaixo.

the great show 4.jpg

A personagem que vai dá o suporte para o Wi Dae Han ajudando bastante as crianças será a Jung Soo Hyun (Lee Sun Bin). Ela é uma roteirista de um programa de TV. Essa é a personagem que ficaria encarregada do shipp, mas confesso que não deu para shippar tanto assim. Claramente o foco do roteirista não era se alongar nisso.

A Jung Soo Hyun estudou com o Wi Dae Han na universidade e naquela época os dois tinham iniciado um relacionamento, mas devido a uma tragédia do passado, ela acabou sumindo da vida dele. Essa situação é um clichê daqueles, mas o motivo que a fez desaparecer nem tanto. Eu não saberia o que faria se estivesse no lugar dela. Ela sumiu, pois pensou que não gostaria tanto dele. Com o reencontro deles anos depois devido a ele ter se tornado um político e ela escrever para um programa dessa linha, ela percebe que ainda o ama.

No entanto, a Jung Soo Hyun precisa deixar essa história do passado para trás. Durante os episódios vamos acompanhando a sua luta para deixar o passado no seu lugar e curtir o presente e planejar o futuro. E, principalmente, aceita-lo como seu companheiro de vida. O que gostei desse relacionamento é que não foi nada forçado, foi acontecendo. Não rolou beijo, mas como um relacionamento relatado de forma madura, foi perceptível que os dois estavam juntos. Eles terminaram juntos com uma família linda. Apesar de achar que ela se intrometia em alguns momentos, ela tinha intimidade para fazer isso. Eu encaro o personagem como super importante para ajudá-lo a alcançar seu objetivo do presente e os futuros. Além disso, a Jung Soo Hyun tinha na filha mais velha do Wi Dae Han, a Han Da Jeong (Noh Jung Eui), uma irmã mais nova. Saberemos o porquê disso com o passar dos episódios. Vou falar mais sobre essa relação nos spoilers. E para os demais, ela era como uma mãe/tia, sempre carinhosa e atenciosa. No fim, acabou que a família dela aceitou o Wi Dae Han e virou uma verdadeira grande família.

Im Joo Hwan (THE GREAT SHOW).jpg

O Kang Joon Ho (Im Joo Hwan) era um advogado e foi aquele personagem que surpreendeu. Pensei que seria uma coisa, mas foi bem mais que isso. Ele surgiu na história como um apaixonado pela Jung Soo Hyun. No entanto, durante os episódios além de fazer parte do triângulo amoroso (se é que podemos chamar disso nesse drama), também foi um adversário político do Wi Dae Han. Embora os dois concordassem em alguns pontos no aspecto social, durante a corrida eleitoral cada um teve que defender o seu ponto de vista. No drama, os dois eram integrantes de um painel de debate. Esses momentos foram cruciais para percebemos a escrita inteligente do roteirista desse drama. Sabe por quê? É durante o debate, construtivo e respeitoso, que percebemos mais firmemente o que cada pessoa pensa. Adorei essas cenas, pois parecia um jogo de gato e rato.

O Kang Joon Ho era filho do Kang Kyung Hoon, que vem a ser oponente do Wi Dae Han. Ele não concordava com a postura política do seu pai. E tem motivos. O tal deputado fazia de tudo para acabar com o Wi Dae Han. Há quatro anos, ele conseguiu derrubar o Wi Dae Han expondo a história do seu pai. E agora nessa corrida eleitoral também estava tentando de tudo. A rixa do Wi Dae Han e o Kang Kyung Hoon é antiga, assim como a do Wi Dae Han e do Kang Joon Ho. O Kang Joon Ho sentia inveja do Wi Dae Han (eles se conheciam desde o colégio). O personagem do Kang Joon Ho era dócil e parecia inofensivo, mas a partir que ele entrou para a política, ele mudou. Não está errado. Como comentei anteriormente, às vezes é necessário assumir essa postura, pois na política é um leão querendo engolir o outro, mas até que ponto isso é válido? Esse é o ponto e esse personagem foi o que protagonizou uma das cenas emblemáticas desse drama. Demonstrando que, dependendo do momento você pode sucumbir ou quase.

Com relação ao triângulo amoroso? Nem sei onde foi parar por volta do episódio 13-14. Ele assumiu que não tinha chances e vida que segue. Sem chororô, sem lengalenga.

the great show 5.jpg

A Han Da Jeong (Noh Jung Eui) era a filha mais velha do Wi Dae Han. Aliás, ela acreditava que era filha dele por causa do que a mãe falava, mas como comentei anteriormente, não era. Isso não é bem spoiler, pois sabemos disso logo no início do drama. Mas, se você acha que a história dela fica menos interessante do pouca disso, você está redondamente enganada (o). A Han Da Jeong era aquela irmã mais velha, mas que assumiu a postura de mãe depois que a mãe faleceu. Ela era protetora e fazia de tudo pelos seus irmãos. Li uns comentários que falavam que ela queria tudo do jeito dela, mas sinceramente não percebi tanto isso vindo dela. Sempre senti que ela estava lutando pela própria melhoria, como dos seus irmãos.

Essa personagem foi uma grata surpresa. Foi em torno dela que aconteceram as situações mais realistas do drama. Fiquei sem acreditar e falei para mim mesma: “Não acredito que esse roteirista vai ser tão ousado”. E foi. Não vou comentar muito aqui, vou falar na sessão spoilers. Se você curtir spoilers, só se jogar no fim do texto.

the great show 6.png

Os irmãos dela não são referenciados como atores principais, mas não poderia deixar de citar o trabalho do Jung Joon Won, como o Han Tak, Park Ye Na, como a Han Song Yi e o Kim Jun, como o Han Tae Poong. Se o drama fosse totalmente familiar, apenas com esse trio, seria maravilhoso por demais.

Mas drama que é bom de verdade também traz secundários de peso. Aqueles que aquecem o coração. Se liga só nesses que citarei abaixo, e por que eles ganharam o meu coração.

HYUK (THE GREAT SHOW).jpg

O Choi Jung Woo (Hyuk) foi aquele personagem que aqueceu o meu coração drameiro. Ele era o namorado da Han Da Jeong e um trainee de Kpop que estava prestes a debutar. Mas, devido aos acontecimentos da vida (vou falar mais sobre isso nos spoilers), ele tem que sair da agência e se tornar um faz tudo. Trabalha em construção e tudo. No final, acaba como garçom no bar dos pais da Jung Soo Hyun. Se você não tem conhecimento, muitos idols passam anos se especializando (aulas de canto, dança em um estresse surreal) para debutar. No entanto, embora no começo ele parecesse triste, ele aceitou a sua condição, pois amava a Han Da Jeong. Sempre muito compreensivo com ela e muito atencioso com os irmãos dela como se fossem dele também. Foi um homem responsável do inicio ao fim do drama. Como tem que ser.

O Ko Bong Joo (Kim Dong Young) também foi um personagem que toda pessoa queria ter do lado. Ele era o assessor do Wi Dae-Han, mas também um amigo. Aquele que estava do seu lado nos momentos bons e ruins. Até foi demitido porque estava passando informações para o ex-deputado do lado ruim da força. Como não amar? Queria mais cenas dele. Confesso! Mas, amei a finalização do seu personagem. *-*

the great show 7.png

Um ponto que achei capenga e em certos momentos mesclava o “é engraçado ou não é?”. Foram as cenas do restaurante dos pais da Jung Soo Hyun. No entanto, tinha um aspecto que eu amei entre eles. O respeito. Era uma família que já tinha passado por muita coisa, mas sempre estiveram um ao lado do outro. Percebemos isso quando o pai sabe que a filha gosta do deputado, embora ele mostre um pouco de resistência inicialmente (aquela pequena birra), ele muda de opinião e aceita. “O que você decidir estaremos ao seu lado”. É assim que se faz, Coréia.

the great show 8.png

Outros pontos maravilhosos desse drama

1) Embate político tradicional versus político não tradicional: O Kang Kyung Hoon é o típico político tradicional. Os embates dele com os não tradicionais são legais de ver. O roteiro do seu personagem é muito rico e expõe muito do que sabemos/vimos atualmente sobre a política, principalmente no Brasil. Por exemplo. Atualmente, há uma tendência em incluir mulheres na política, mas não ocorre apenas por causa das mulheres, mas o que isso pode ajudar o partido. Isso é demonstrado no drama. Outro ponto é quando ele comenta com a candidata mulher (que ele está ajudando). “As pessoas não querem saber de propostas em debates. Você tem que expor a vida pessoal dele”. Isso é verdade? É só analisar os debates para presidenciais no Brasil.

2) Prisão dos culpados: A treta ia além da política, pois envolvia muitos empresários, ou seja, tinha ramificações. Diferente de outros dramas coreanos em “The Great Show” as pessoas que estavam envolvidas foram julgadas e presas já no episódio 13. Não ficou guardando para o finalzinho. Até porque, o foco não era esse.

3) Aproveitamento do tempo de drama: O roteirista soube aproveitar bem o tempo. 16 horas para desenvolver uma história boa e envolvente é complicado. Então, quanto mais direto, melhor. Não acho que “The Great Show” pecou nisso.

4) Clichês: Esse drama contêm alguns clichês, mas diferente de alguns dramas, ele não se sustenta nisso. Pelo contrário, conseguiu colocar outras histórias acopladas, e que fez até você esquecer o clichê.

5) Evolução dos personagens: Durante os episódios foi perceptível o amadurecimentos do Wi Dae Han e da Jung Soo Hyun. Mas não só deles ou dos principais, mas dos secundários também. Como os pais da Jung Soo Hyun, do namorado idol da Han Da Jeong, o Choi Jung Woo. Bem como o envolvimento do roteiro. Foi uma onda gigante.

6) Atuação dos atores: Não poderia deixar de comentar, pois foi um show a parte. Eu gostei demais.

the great show 9.jpg

Não recomendo e/ou não gostei

1) Se você espera muitas cenas da parte familiar. Nos primeiros oito episódios há varias cenas que envolvem a família, mas nos últimos episódios não foram tantas assim. Preciso reconhecer isso. Embora a cena mais emocionante dos episódios finais foi um diálogo entre o pai e a filha. Apesar disso, acredito que, o tempo que foi gasto na parte política era necessária, pois para sobreviver e prover uma boa vida para os seus filhos, ele precisava se tornar um membro da assembléia. No entanto, ficou aquele gostinho de “eu queria mais”. Principalmente da personagem da Han Da Jeong.

2) Se você procura por romance. Não recomendo. Ocorre uma cena ou outra dos protas, mas nada meloso. Rolou algumas cenas deles em um encontro quando mais jovens, mas era tudo para servir de plano de fundo para a desgraça. Não deu tempo nem de shippar.

3) O personagem do Im Joo Hwan poderia ter ganhado alguma do pai. No final foi tudo ok, mas durante o drama poderia ter dado mais moral a esse personagem.

4) Achei a mudança do pai biológico das crianças bem repentina. Poderia ter feito ele sofrer um pouco mais.

Eu gostei muito desse drama. Mesmo com algumas falhas, como toda família, e que com isso não significa que não pode ser bonito da mesma forma, comovente e sincero até o fim.

Minha nota foi 9/10.

Se não gosta de spoilers. O texto termina aqui para você.

Você pretende assistir The Great Show”? O que achou desse texto?

Até a próxima.

Gosta de spoilers? Apenas alguns pontos desse drama muito bom abaixo.

the great show 10.png

1) A prota sempre via uma adolescente e conversava com ela. Eu, na minha fanfic, achei que ela poderia ter tido uma filha do Wi Dae Han e abortado. Porque eles tinham se relacionado quando estavam na universidade. Pensando bem, se o drama tivesse ido nessa direção, com certeza teríamos um drama mais familiar. No entanto, não era filha dela e sim a sua irmã, que tinha morrido em um acidente num elevador. Os cabos do elevador se torraram, e o elevador despencou. Esse acontecimento, que é oriundo do resultado de um esquema mafioso, virá à tona durante os episódios da segunda metade do drama (8-16). As teorias foram muitas sobre ela ver uma pessoa já morta, mas logo foi descoberto que se tratava da irmã e não da filha.

Esse fato com a sua irmã é importante, pois durante os episódios vamos acompanhando o seu desligamento do passado e indo em direção ao futuro. Ela via a Han Da Jeong como uma irmã. Ela via a imagem da sua irmã nela, mas foi interessante porque mesmo superando o passado, ela conseguiu manter a Han Da Jeong ao seu lado. A vida é assim. Algumas pessoas acabando indo mesmo que não seja a hora, mas outras acabam chegando para ficar.

the great show 11.jpg

2) Gravidez na adolescência e bullying: Esse drama surpreendeu bastante, pois mostrou a gravidez na adolescência. Eu pensei que seria trolagem do roteiro. Algo como: “Pensei que estava grávida, mas não estou”. Só que não. Nesse ponto (e em vários que já citei acima), que sou totalmente contra ao dizerem que “The Great Show” não mostrou nada novo. Quantos dramas que mostram gravidez na adolescência, por exemplo, essas pessoas viram? É um assunto que não é tão abordado. Além disso, a personagem ainda cuida dos seus irmãos mais novos. Tem uma cena bem emblemática quando o Wi Dae Han que o deputado descobre que a filha está grávida. Em um debate, dias antes, o deputado comenta que abortar é pecado. Mas, no momento que ele a ver grávida, ele a pressioná-la a fazer um aborto. O que mostrava o tipo de pessoa que ele era. Um verdadeiro hipócrita, mas que mudou muito com o decorrer dos episódios.

Sobre o bullying: A maneira como estavam fazendo o bullying, também eu nunca tinha visto. Como era feito? Mesmo que ela saísse, ficavam forçando ela a entrar nos grupos. Um baita terror psicológico. Também teve a cena do Han Tak quando sofreu o bullying. Ele acabou atacando o rapaz. Isso mostra que algumas pessoas se retraem, outras acabam partindo para cima.

3) Cena do Han Tak x Wi Dae Han: Foi uma das cenas mais lindas dos últimos episódios. Eu estava esperando por esse momento, pois eu sabia que o Jung Joon Won tinha muito potencial. A cena foi: O Tak recebe uma ligação de uns colegas da escola para ir a um local. Chegando lá, ele percebe que é uma cilada. Os bandidos mirins tinham batido em outro, que estava sagrando no chão. A polícia acaba levando o Tak preso. Lembrando que não era a primeira vez que o Tak estava em apuros. Ele tinha ido parar no conselho da escola depois que teve um ataque de raiva por ter sofrido bullying. O seu colega de sala tinha falado mal da família dele. E família é aquele negócio. Só a gente pode falar mal. Então, já tinha esse histórico todo envolvido.

Ele vai preso e o Wi Dae Han é chamado para comparecer a delegacia. Chegando lá, ele conversa com o Tak. O Tak diz que nunca espancaria alguém de forma gratuita e fala que o Wi Dae Han não acredita porque ele não é filho dele. Nesse momento, o Wi Dae Han não estava tão seguro mesmo da postura do filho. O Tak joga na cara dele uma cena do começo do drama, quando ele ainda era bem mau caráter. Só que agora (essa cena é uma episódio que estava indo rumo à finalização do drama) o nosso ex-deputado é alguém diferente. Ele conversa com a Han Da Jeong. Ela comenta que o Tak tem muitos problemas, mas ele não é de mentir. Então, ele começa a realmente acreditar no Tak. Faz campanha no local que ocorreu o incidente para ver se tinha um carro estacionado no local da briga, e que poderia ter filmado a cena. Se ele achasse, ficaria comprovado que o Tak só chegou ao local quando o guri já estava no chão e foi o próprio Tak que chamou a ambulância para resgatar o garoto. E ainda fez mais, o acompanhou até o hospital. Essa é a versão do Tak.

Por ironias do drama, esse garoto era o mesmo que o Tak tinha metido a porrada, porque tinha falado mal da família dele. Mas, todos nós sabíamos que embora o Tak fosse calado e explosivo, ele era alguém de bom coração. O Wi Dae Han consegue encontrar uma gravação de um carro de cachorro quente que estava estacionado próximo ao local da agressão. Então, fica comprovada a versão do Tak. Quando o filho é liberado, mesmo com o assessor do Wi Dae Han falando para ele não falar nada, ele acaba se pronunciando. Fala que confia no filho. Uma cena bem bonita e que é um divisor de águas na relação entre o Han Tak e o Wi Dae Han. Após isso, o Tak se transforma em outro personagem. Nós queríamos mais cenas assim.

4) Resultado das eleições: Depois de tantas tretas, o Wi Dae Han e o Kang Joon Ho percebem que estão lutando por coisas similares. O nosso querido ex-deputado não consegue se eleger. E o que achei disso? Justíssimo. Embora o Kang Joon Ho tenha tido dúvidas e em momentos possa ter agido de uma maneira bem dúbia, de forma geral ele não era alguém ruim. Além disso, acredito que possa ser uma maneira do drama responder a perguntas como: Os resultados são importantes? Quais são as coisas realmente importantes? Não é possível ter as pessoas com quem nos preocupamos ao nosso redor?

5) Já deu para perceber que os últimos episódios foram de lascar, né? Então, ficamos sabendo através do pai dos gêmeos, que o pai da Han Da Jeong é um bandido que já estava morto. Não sei se pode ser considerado um plot twist, mas a moça era fruto de um estupro. O bandido acabou estuprando a mãe dela. O Wi Dae Han pergunta porque a mãe da Han Da Jeong tinha tanta certeza que ela era filha dele. Então, o padrasto conta que porque o estupro aconteceu dias depois que ela se envolveu com ele. Que a mãe dela gostava muito dele, então, pensava que a filha era fruto dessa relação e não do estupro. O Wi Dae Han pergunta para o padrasto dela quem sabe dessa história. Ele fala que poucas pessoas. Então, o Wi Dae Han pede pelo amor de Deus que ele leve isso para o tumulo. A cena do Wi Dae Han se ajoelhando e implorando foi bem emocionante.

Se leu até aqui.

O que achou desse texto? Assistiu “The Great Show”?

Comente e compartilhe suas opiniões

Até a próxima. <3.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: