05/12/2021

HI BYE, MAMA

COMENTÁRIOS DOS EPISÓDIOS 3 E 4 DE “HYE BY MAMA”


CONTÉM SPOILERS.

“Mulher que perde o marido é chamada de viúva.
Homem que perde a mulher é chamado de viúvo.
E filho que perde os pais é chamado de órfão.
Mas não há palavra para pais que perdem um filho.
Sabe por quê?
Porque não há palavra para descrever.
Não há palavra no mundo que descreva a dor excruciante”.

Esses episódios foram tão gostosos e quando acabou o episódio 4 eu surtei. Não esperava como acabou. Nesses episódios ficou muito claro o que a tvN faz com muita maestria. Sair da comédia e ir para o drama em questão de minutos. O começo do terceiro episódio foi naquela cena fatídica que terminou no episódio 2, ou seja, o encontro do Gang Hwa com a Yu ri. Cena tão linda e sensível.

O episódio 3 foi mais cômico, embora tenha situação muito tensas, como o primeiro encontro do casal de protagonistas. As cenas cômicas ficaram por conta da fuga dos fantasmas, que acabou com a Yu ri vendo a mãe dela na feira livre, nesse momento, a mãe dela estava até passando mal com problemas no joelho. Lembra do que falei de mudar de uma cena cômica para dramática em minutos?

Outra cena hilária foi a cena do banheiro. Se não viu, veja. Ficou cômico e trágico ao mesmo tempo. Teve a prota comendo um frango suculento e deixando todo mundo com vontade. Esse episódio mostrou como pequenas coisas, que pode passar despercebido na correria do dia a dia, você pode sentir muita falta no futuro. Tanto que o título do episódio 3 é: “A beleza da vida só é notada após a morte”. O episódio 3 foi basicamente para mostrar que mesmo as situações mais normais e sem importância devem ser valorizadas. Ah, não posso esquecer de citar. Passou o drama “My Mister” na televisão. Meu coração até acelerou.

O começo do episódio 4 foi demonstrando os momentos antes da morte da Yu Ri, como foi o seu acidente. A cena foi muito bem produzida Nesse episódio também veremos como a Yu ri decidi trabalhar na creche para ficar mais perto da sua filha. Foram momentos lindos, pois podemos acompanhar um pouco a rotina da creche, as mães dos demais alunos e a “proteção exagerada” de algumas e de certa forma preconceituosa. A crítica foi pesada sobre a “padronização” das crianças. Como se todas as pessoas devessem seguir um padrão. Também como a amiga de longa data reagiu quando soube da morte da Yu ri.

Outro momento foi quando, o agora “ex-marido” (Gang Hwa), dizendo que não se casaria novamente. Mas, casou. E ele ficou com uma cara de que fez algo muito errado. A Yu Ri fez a sensata. Pelo menos nesse momento. Muitas pessoas estão comentando sobre algo estranho com relação a esse atual casamento, e eu senti isso quando ele respondeu para a Yu ri: “Simplesmente aconteceu”. Talvez não seja nada demais, mas senti que ficou algo no ar. A sua atual esposa também tem um ar bem misterioso. Ainda sabemos pouco sobre ela até o momento.

Eu estou amando o casal de amigos da protagonista. A dona do bar e o médico. Por horas, fico com receio que passe um pouco do tom, mas é fato que ambos se amam. Aquele flashback do dia que a Yu ri faleceu e a sogra não queria deixá-la ir ao velório, pois ela tinha acabado de ter filho. O marido-filho interveio e foi bem lindo. Pelo menos nesse drama o homem não fez a egípcia perante a mãe. Imagina só. Sua melhor amiga morreu e você não puder ir ao velório por causa de superstições de terceiros. Demonstrou que os dois se amam bastante. Ocorreu uma cena interessante no bar dela. Uma intrometida. Falando sobre ela NÃO deixar o filho frequentar o bar, sendo que é o bar da mãe dele. Foi o auge. Gostei mesmo foi da resposta dela: “Seja no bar ou debaixo da ponte, o que importa é que os filhos estejam com os pais. Por que há tantas regras para se criar um filho? Não estamos num quartel”.

Nesses episódios também tivemos mais cenas dos “fantasmas”. As cenas do agiota foram com um ar mais cômico, provavelmente teremos cenas dos demais no decorrer dos episódios. Além dele, vimos cenas do jogador de baseball e da moça que vive o perseguindo, perguntando se ele é gay. Sinto que ainda iremos chorar com a história de vida desse jogador. Até agora, só sabemos que ele cometeu suicídio e isso já é algo pesado. Também tivemos o desprazer de ver algumas cenas típicas de 200 anos atrás, mas que serviram para demonstrar que mesmo morto, você continua machista e ignorante, não mudará.

Enquanto o Gang Hwa estava pensando como a Yu ri deveria estar se sentindo por ele ter casado, ele percebeu, enquanto conversava com funcionárias do hospital, que casamento não era tão importante, pois o que contava era o filho. As mães pensariam mesmo em como deixar os filhos para trás. Só vi verdades. Logo após essas cenas, tivemos mais cenas de mães que perderam os filhos, e foi nesse momento que ocorreu a citação que abre esse texto. Ver que a mãe dela tentava ser forte, mas que estava sempre pensando e velando a neta a distância, foi tudo para mim. Para mim, esses dois momentos foram o ponto alto do episódio.

A atuação dos dois atores principais está perfeita. Principalmente no primeiro encontro. O ator se superando na versão nervoso. A atriz também não deixa por menos, o que foi aquela cena dela xingando a divindade?

A sonorização desse drama me chama bastante a atenção. Não me recordo de ter visto algo assim nos últimos dramas.

Enfim. Apenas alguns pensamentos sobre esses episódios e dizer que estou amando esse drama.

O que vocês estão achando desse drama?

Compartilha conosco.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: