24/10/2021

DINNER MATE – EPISÓDIOS 1-4

Contém SPOILERS que te fará ir correndo ver esses 4 episódios. #sovem

“Dinner Mate” estreou e não me decepcionou. O coração da dorameira fica até quentinho, não é? O drama estrelado pelo Song Seung Heon (Kim Hae Kyung), Seo Ji Hye (Woo Do Hee), Lee Ji Hoon (Jung Jae Hyuk) e Son Na Eun (Jin Noh Eul) lançou 4 episódios. As sinopses são feitas para nós trolar. O que sabíamos de “Dinner Mate” era de um casal que “curaria” as suas tristezas enquanto jantavam. Mas, é muito mais que isso. Eu pensei que seria um melodrama pesadão, mas não é. E eu estou amando. Já tivemos melodramas pesadões esse ano, principalmente quando comparando ao ano passado. Então, vamos aproveitar os refrescos quando tem (até porque esse já teve cena para tremer o coração da dorameira nesses 4 primeiros episódios).

O drama começa com uma cena luxuosa da protagonista vestida como a Audrey Hepburn, a atmosfera é bem nostálgica. Poucos minutos após, começa uma perseguição e já somos apresentadas ao protagonista. Assim, em questão de segundos. Saímos de uma cena nostálgica da prota (ah, ela estava acompanhada do namorado – cena clássica de amorzinho) para uma de ação com o protagonista em uma perseguição. Eu pensei que ele fosse até um policial (e essa cena é bem importante, pois é por causa dela, que eles irão se encontrar novamente), mas para a nossa surpresa, ele é um psiquiatra. É um psiquiatra famoso e escritor de um livro que envolve a psiquiatria e alimentos. Ele é conhecido por aconselhar os seus pacientes enquanto estão comendo. E isso aqui, eu tenho que bater palma, pois é realmente uma boa sacada. Sabemos que comer juntos significa muito na Coréia, e ainda no primeiro episódio de “Dinner Mate” somos apresentadas a uma cena que envolve a protagonista e o ex-namorado onde mostra o melodrama e a sinopse toda em uma tacada só. A Do Hee não tem sorte. Então, ela vai saber que está sendo traída pelo namorado. Não apenas isso, mas ela vai fazer uma surpresa de aniversário e quem vai ser surpreendida é ela. Quando ela chega ao restaurante dele, ele está propondo casamento para outra pessoa. Assim mesmo. Diante disso, ela pergunta o porquê disso ter acontecido. Ele fala alguns “motivos”, mas diz que o fator principal foi: “Eu comecei a odiar a ideia de comer com você”. Isso foi um tiro e tanto. Nesse momento, sentimos o melodrama, mesmo que de forma leve, e a sinopse de “comer juntos” bem representada. Lembrei-me do diálogo do Kdrama My Mister quando espantado um personagem pergunta: “Ele foi comer com você? Ele não é de sair para comer com quem não gosta”.

O primeiro contato dos protagonistas foi ainda no avião (eles estavam indo para a ilha de Jeju), quando ela ia visitar o namorado, mas a primeira real interação foi quando ela estava desnorteada, após saber que estava sendo traída. Os dois vão se encontrar, e rolará muitas cenas de comédia pastelão ou nem tanto, ação e muito mais. No final do segundo episódio somos apresentadas a um término do Hae Kyung, onde a sua ex-namorada comenta: “Por que sou eu que estou te deixando, mas sinto que sou eu que estou sendo deixada? Você deve estar acostumado a ser deixado sozinho”. Ele pensa consigo mesmo: “Não há ninguém nesse mundo que está acostumado a ser deixado sozinho”. Nesse momento, ele pensa na Do Hee, que está do lado de fora do aeroporto, pois ele estava prestes a voltar para Seul e ela deu aquela carona marota. Nesse momento, ele pensa que está voltando por altruísmo, mas não, já sinto que ele está olhando de modo diferente para ela. Foi interessante notar que mesmo depois de descobrir a traição a Do Hee se manteve alto astral, mas foi só tomar uns drinks que ela caiu novamente. Nesse momento, tivemos mais um diálogo daqueles de travar tudo. Recomendo assistir, não vou soltar esse spoiler aqui, pois realmente merece ser apreciado.

Ponto positivo: Eles não sabem nada um do outro e eu gostei disso. Não sabem nome, nem profissão. Estão levando a relação bem de boa. Quando descobrirem irá render umas boas gargalhadas. Nesse sentido, gostei muito da relação deles de “estou sendo espontâneo porque nunca mais vou te ver”. E os diálogos: “Não estou interessada romanticamente por você’’ “Nem eu por você”. Gostei porque sai dessa vibe ~inocente apaixonado~. E embora seja comum esse tipo de comentário, no drama não ficou algo forçado ou feito por birra. Eu só pergunta a vocês: Eu conto ou vocês contam? HAHA. Outro ponto que me agradou bastante foi a mesclagem dos gêneros. Rolou comédia, ação, drama, melodrama, tudo em um mesmo episódio. Eu amo isso. AHHHHHHHHHHH. O enfermeiro ajudante dele citou o Brasil. Falou “Rio de Janeiro”. Foi tão fofo. Amo quando os dramas citam o Brasil. Ah, não posso esquecer da atuação, roteiro, OST e fotografia. Gente, o que é aquela ilha de Jeju? Meu sonho ir pra lá com minhas amigas. É muito lindo.

Ponto negativo: O drama ainda está no começo. Até o momento, o que para mim foi e pode ser ainda mais complicado no futuro foi o tanto de situações óbvias que fizeram para eles se encontrarem. Por exemplo, eles irão se encontrar novamente de uma forma, e antes de acontecer eu já estava prevendo. Espero que seja usada de uma forma que não fique cansativo.

Moral da história: Ainda tem muita coisa para rolar e estou muito animada. O drama terminou em um novo reencontro. Estou doida para saber como irão desenrolar. Ele jogou uma história de “te encontro se isso acontecer” pensando que não iria acontecer, mas aconteceu. Mesmo ele bancando o “vou ignorar, pois estava apenas sendo legal e agindo como psiquiatra” não conseguiu. Aguenta coração, segunda-feira tem mais.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: