24/10/2021

THE KING: ETERNAL MONARCH – EPISÓDIO 13

A primeira vez em muito tempo em que eles iniciaram um episódio de onde terminaram o último episódio. Esta é uma das principais críticas lançadas contra esse drama, então eu me pergunto se eles conscientemente fizeram um esforço para tornar tudo linear.

É difícil falar sobre esse drama na ordem dos acontecimentos, até porque mesmo o que assistimos na ordem do episódio pode não ser a verdadeira “ordem”. Então separei por tópicos:

• Cicatriz que parece uma tattoo dourada:

A teoria sobre as cicatrizes aparentes era verdadeira, porém não incluindo a parte da morte natural. Você desenvolverá cicatrizes brilhantes se: Seu sósia morrer e você cruzar o portão para o mundo paralelo. O verdadeiro Kang Shin Jae está vivo, é por isso que ele não teve nenhuma cicatriz. E a razão pela qual a mãe de Lee Gon da República não tem nenhuma é que ela nunca esteve no mundo paralelo e nunca cruzou esse portão.

• Governanta Noh

Varias referências ao destino, desta vez a governanta Noh no início: “Agora eu sei que tudo era meu destino, exatamente como você acabou aqui” e como sempre, deixou no ar o que pode acontecer ..

Sobre o livro que ela levou da República para a Coréia, seria o Azaléias? Aquele livro que Lee Gon trouxe da primeira viagem entre os mundos, porque Tae Eul tinha citado a frase do poema sobre não poder chama-lo por nome?

• Primeira Ministra do mal

Ficou confirmado que era a ministra mesmo que estava na República. Lá ela compra um sapato com a mesma estampa do que ela já tem na Coréia. Lembrando que ela tem um sapato para cada ocasião. O sapato que ela escolheu, comprado na República significaque ela escolheu Lee Lim.
O ponto positivo desse episódio foi ela admitir que precisava de um psicólogo.

Na conversa entre a Ministra e o príncipe do mal, Lee Lim diz “Seus pais ao menos me respeitavam”. O que ele queria dizer?

• Vilão da voz sedutora: Lee Lim

A química que estavam pedindo veio! Mas foi no vilão com a primeira ministra! SURREAL! Até a risada maquiavélica dos dois davam match!
Será que ele pediu que Luna envenenasse Lee Gon para impedir que seu sobrinho viajasse de volta no tempo para se salvar?

• Kang Shin Jae

Ele está prestes a se ver quando abriu a porta do quarto de hospital. Também explica o olhar chocado na cara da recepcionista.
A mãe do Lee Gon da República sabe que existe um Shin Jae acamado no hospital por isso ela ficou chocada quando viu a foto do Shin Jae poliça.
Ele assumiu seus sentimentos pela Tae Eul para o Jo Young. E em seguida uma mulher idêntica a Tae Eul o beija a força. Achei triste e desnecessário! Era a Luna mas mesmo assim..

• Luna

Ela está morrendo de câncer mas mesmo assim, está toda trabalhada na maldade. Difícil sentir empatia quando ela envenena o rei e segundo a prévia esfaqueia a Tae Eul. O beijo a força também foi péssimo. Ela é o personagem menos trabalhado, parece que falta algo nela ..não sei explicar!
Quando ela se refere a Tae Eul ser do signo de gêmeos, fica irritada porque elas nasceram no mesmo dia. 27 de Maio de 1990. Na filmagem que o Lee Gon tem do futuro, aparecem Tae Eul e o menino do ioiô em 27 de Maio de 2022. O que isso quer dizer?

• Jang Tae Eul

Ela é muito competente, achou a floresta do vilão rapidinho.
Também foi bem direta ao apresentar o Lee Gon como namorado para o pai.

Mas, quando entrega a roupa para o Lee Gon e ele diz que já viu a roupa antes ela diz que esse era o objetivo?

Tae Eul sabe mais que todo mundo, não é possível.. quero só ver a versão dela dessa história. Vai quebrar a dramalandia..

• Flauta

Eles já deixaram claro que a flauta estava sendo usada desde 1950 desde que a governanta Noh chegou ao reino. Então, talvez todos os reis soubessem usá-la. A metade da flauta pode ajudá-lo a se mover no tempo presente entre os dois mundos. A flauta inteira provavelmente permite viagens no tempo. Lee Gon terá que derrotar Lee Rim no futuro e tirar a outra metade da flauta dele. Ele não pode mudar os eventos do passado. Paradas no tempo e cicatrizes são o efeito colateral da flauta ao meio, como dito no episódio 13. Então, depois de salvar seu eu mais jovem do passado, Lee Gon tem que derrotar Lee Rim de alguma forma.

• Lee Gon princeso:

Afirmações:

Ele deu um carro para Eun Seob. Todos os carros do estacionamento do café dariam um salão do automóvel.
Expôs a primeira ministra sem dó.
Ele já entendeu que ele mesmo se salva.
Perguntas:

Na prévia a Tae Eul leva uma facada. Será que é tentando salva-la que ele começa a viajar no tempo? Mas não precisa das duas partes da flauta pra isso?

Ele sempre sabe das coisas antes só não tinha mencionado, mas então quer dizer que ele conhece a floresta com portal do Lee Lim?
Ele tomou a cerveja envenenada e não percebeu antes que era a Luna?
O rei vai ter misericórdia da verdadeira mãe do Shin Jae?
Se algo no passado for alterado não interfere no futuro?
Por exemplo: Se Lee Gon impedir a flauta de ser cortada, ele não conheceria a Tae Eul já que não haveria necessidade de atravessar o universo.

• Moral da história: Shin Jae disse ao Jo Young “Existem pessoas mais distantes que isso(se referindo a Lee Gon do Reino e Tae Eul da Coréia) mesmo no mesmo mundo” ..

• Moral da história 2: “A propaganda é a alma do negócio” – Maxwell Salgado.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: