24/10/2021

IT’S OKAY TO NOT BE OKAY – Será mesmo que está tudo bem não ser “normal”?

Será mesmo que está tudo bem não ser “normal”? Até que ponto essa excentricidade é “ok”? Será que não seria melhor buscar curar as feridas do que camuflá-las? 

Esse fim de semana começou o drama it’s okay not to be okay, estava dando F5 no Netflix? Estava, não minto, o drama tem um fotografia muito bonita e a direção impecável. Abertura é bem “fofinha” e começou com uma história de “era uma vez”, muito bem desenhada, porém, era a história de uma menina que tinha uma maldição, chamada de monstro e não conseguia ter amigos por causa disso, então ela precisava descontar em alguém e foi descontar nos peixinhos, nessa “pesca” ela acabou salvando um menino da morte (confesso que pensei que ele estava tentando suicídio, ainda tenho minhas dúvidas) que a seguiu intencionalmente? Ele estava com o anzol preso a ele.

 Eu fico me perguntando, quem foi o infeliz que escreveu uma história dessa? Ela claramente é para criança, e pensando bem, todas as histórias para crianças tem sérios problemas, João do pé de feijão rouba os ovos da galinha, branca de neve come uma maçã envenenada, a bela adormecida é beijada inconsciente e por aí vai. Todos os livros que eu leio para a criança que cuido, tem umas história bem absurdas, e agora prestando atenção nessa personagem, eu entendo porquê, as pessoas que escrevem não são muito normais. 

Pudemos perceber que a Go Moon Young, tem algum tipo de transtorno de personalidade e traumas do passado. E esse é minha grande queixa quando vejo pessoas com problemas psicológicos sendo retratados na tela, eles sempre colocam algo muito “excêntrico” e exagerado, ao ponto de apontarmos o dedo e dizer “SURTADA, LOUCA”, sendo que se teria formas muito melhores de trabalhar isso. Ela tem uma carga emocional bem pesada, a gente já vê pela sua personalidade e postura, mas isso não lhe dá o direito de ser uma pessoa escrota, e por isso que me pergunto o até que ponto é tudo bem não ser normal.

Moon Kang Tae é um personagem fofo, da personalidade maravilhosa, que mesmo passando por vários problemas e tendo que cuidar de seu irmão mais velho que tem autismo, não age de forma estúpida e nem é grosseiro com ninguém. Claro que vai virar o alvo e será “caçado” por Moon Young. As cenas com o irmão foram uma coisa muito linda e  gostei como retrataram o irmão autista, pelo menos até onde assisti. 

Tive alguns problemas com esse primeiro episódio, começando pela história do início e a história que foi narrada durante a trama, as duas foram assustadoras e eu me pergunto se vocês leriam uma história dessa para os seus filhos. Tudo bem mesmo você não esquecer de nada? Você teve uma infância sofrida e qual o problema você querer esquecer isso? Por que tem que superar? Será que procurar ajuda psicológica não seria melhor do que simplesmente tentar superar sozinho? Enfim, tenho tantas questões que só um texto não vai ser suficiente. Não sou mãe, mas cuido de uma criança de 19 meses e eu digo com toda certeza absoluta, que jamais passaria esse tipo de mensagem pra ele. 

E digo também com toda certeza absoluta que não vou continuar esse drama, se só esse primeiro episódio mexeu com a meu psicológico, me pergunto o que os outros não fará. E eu tenho medo de como vão tratar os problemas psicológicos neles descritos, fomos apresentados a distúrbios alimentares, e um pai que sofria de transtorno de ansiedade e tentou matar a si e a filha.  Enquanto Go Moon Young queria ferir o pai, a filha chorava para enfermeira, dizendo que seu pai não era uma pessoa má, mas sim estava doente e precisava de ajuda, e naquele momento, ela ainda não sabia que o pai tinha se matado, percebem o quanto isso é perturbador? Por que dar um final assim para uma pessoa que precisava de ajuda? 

Enfim, eu não concordo com o título “tudo bem não ser normal”, acredito que “tudo bem não estar bem”, seria uma tradução melhor paro o drama, afinal, tudo bem não estar bem naquele momento, mas procure ajudar e tudo vai ficar melhor. Ou tudo bem não ser normal e isso vai justificar suas atitudes e comportamento ruins? “Ela é muito excêntrica e tem uma personalidade forte”. E se formos traduzir literalmente o nome do drama em coreano, vai ser psycho but it’s okay (Psicótico, mas tudo bem) bem sugestivo não? Psicótico é uma gíria para alguém que é mentalmente instável ou afligido por uma psicose*. 

Bom, essa foi minha percepção sobre o drama, e vi que muita gente gostou, espero que que atendam as expectativas de vocês, por que a minha não conseguiu atender, você pode dizer que é muito cedo para isso e que o drama está só começando. Mas eu prefiro estar realmente bem do que achar tudo bem não estar bem.

*Nota: se você colocar psycho no google tradutor, a tradução vai ser psicopata, mas se for procurar a definição do termo em inglês, vai aparecer que psycho é uma gíria em inglês bem como explicada no texto. A palavra psicopata em inglês é psychopath


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores originais e não refletem necessariamente a opinião das Coreanas de Taubaté.

3 thoughts on “IT’S OKAY TO NOT BE OKAY – Será mesmo que está tudo bem não ser “normal”?

  1. Oi, achei muito legal este drama, o melhor para mim até o momento dos dramas Coreianos. Achei muito impactante e recomenedo totalmente a todos assistir. Tocou no fundo meus sentimentos e deixa a gente mais sensível em relação ao outro. O drama toca traumas íntimos a cada momento de forma magistral. A música é sensacional, com o tema “In Silence”, “In silence, no one answers, but I still hear your voice”, com o vocal perfeito da Janett Suhh. Algumas músicas me lembraram o trecho da música do filme Gladiador (Now we are free ) ou da música de Gotye (Somebody That I Used To Know). O trabalho dos atores é simplesmente excelente. Adorei ver as comidas, a forma de viver, de dormir, a cultura normal na Coreia do Sul. A parte romántica mantém o suspenso. O que achei ruim: O role da Park Kyu-young e outros personagens poderiam ter tido mais força e relevância, Os 2 últimos capítulos são comerciais, tentando responder como ficam as coisas, mas ainda assim deixam muito sem resposta. A série perde força ao incluir constantemente publicidade. Muitos momentos de lembranças que não adicionam nada. Meu Resumo: Exclente série, com suspenso, humor, ação, romance, terror e uma visão sensível da vida. Vale a pena assistir,

  2. Moon Young é uma pessoa manipuladora, egoísta e má. Até o 8º episódio, ela só ferrou com a vida das pessoas. Kang Tae eu descrevo como uma pessoa ferrada e carente. Ele já se machucou, apanhou, chorou, sofre e foi punido. Fui até o fim por causa do Kim Soo Hyun, mas a série eu não recomendo para ninguém.

    1. Falar que esse drama não foi legal, é o mesmo que dar uma facada na dramalandia inteira. 😂😂😂 Mas mesmo assim continuo com a minha opinião, e depois de tudo o que aconteceu semana passada, continuo mais ainda.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: