28/10/2021

MY UNFAMILIAR FAMILY – EPISÓDIO 7

Mais um episódio cheio de complexidade de de diálogos intensos.

Vou tentar dividir em partes, com as situações que mais me chamaram atenção, caso eu deixe passar algo, coloque nos comentários para que eu possa te responder.

  • Sang Shik vs Sang Shik

 O dilema entre o jovem Sang Shik de 22 anos e o Sang Shik ahjussi que nem mesmo se lembra que tem filhos chega no ápice. Nem parecem ser a mesma pessoa. Sua busca pela identidade esquecida fica cada vez mais dolorosa, afinal ele se tornou uma pessoa muito diferente de quem ele era aos 22 anos.Ele questiona seu colega de trabalho sobre seu temperamento e também conta que fazia acompanhamento psiquiátrico como paciente com potencial suicida.

 Sobre a suposta segunda família, digo suposta porque acredito que até o episódio 16 tudo nesse drama serão suposições, Man Ho diz que Sang Shik era reservado demais para compartilhar algo, logo ele não sabe de nada. Mas ainda assim, parecia saber e só não quis contar.

  • Sang Shik e Ji Sook

Acredito que devido ao acidente e perda de memória, Sang Shik passou a ouvir Ji Sook, algo que não faria em outras épocas.

Então Ji Sook finalmente fala! Tudo que estava entalado na garganta e no coração, ela consegue desabafar. Pena que o Sang Shik, com sua memória de 22 anos, não pode nem mesmo dar uma resposta às reclamações da Ji Sook. E discutir sozinha é mais estressante ainda! Pelo visto, ele se sente motivado a escutá-la e resolver a situação dela, que no caso é se separar.

  • Eun Joo e o barista Hyo Seok 

A sensação que tive ao ver esses dois conversando é que Eun Joo queria culpar alguém pelo que ela estava vivendo. Assim como ela fez com Eun Hee. Ela se defende atacando os outros e sinceramente? Fica difícil ter empatia por ela nessas condições. Mas seguimos tentando afinal, ela sofre para um caramba e queremos um final decente para todos nesta família, incluindo os agregados.

Agora vamos aos fatos com relação a Eun Joo e o barista: ele não tinha obrigação nenhuma de contar para ela sua orientação sexual, que ela parecia não saber. Também, sobre o relacionamento do marido dela com o namorado dele, quem é a vítima aqui? Ela não é a única a sofrer com a situação, um mínimo de empatia era esperado já que ambos estavam no mesmo lugar e Hyo Seok foi uma companhia para ela e sempre foi amigável.

Outro ponto que o roteiro nos trás e eu acho que é fundamental para o debate é a dúvida que o nosso barista tinha, que era saber com quem o namorado o traía. Esse tipo de curiosidade é natural do ser humano traído. E ainda ao descobrir que o amante do seu namorado ainda estava no armário ele ficou mais triste e revoltado ainda, porque sentia que tinha sido trocado por alguém pior, um covarde e além disso, que faria a mulher sofrer.

Também fica evidente que Eun Joo não é tão calma e racional como aparenta ser na frente da Eun Hee. Ela se sente traída pelo amigo barista, pois ela confiava nele e eles tinham um relacionamento de amizade, porém, em nenhum momento ela se preocupa com ele e ainda o ofende. Que amizade é essa?

  • Eun Hee e Chan Hyuk

Alguém me ajuda aqui porque nessa eu me perdi. Se houver triângulo amoroso entre as irmãs, já deixo aqui anotado que este é o ponto negativo do drama. Eu até consigo tolerar Chan Hyuk e Geon Joo, mas entre as irmãs jamais!

A família Kim é tão complicada, que tanto Eun Hee quanto Ji Woo colocaram Chan Hyuk nos meios dos seus problemas e detalhe: todos envolvem a Eun Joo, que até então o drama deixa entender que é quem Chan Hyuk ama. Ou não ama? Alguém pode me dizer?

Embora ser o intermediário nessa família seja complicado, ele poderia simplesmente negar e não o faz. Então, não tem como defendê-lo também.

Aliás, ele reclama com Eun Hee pelo tempo que ficaram afastados e ela o excluiu, ainda que por causa do babaca do Jung Min. Também diz que não evitou as ligações dela de propósito, embora saibamos que sim e fala sobre a dificuldade de manter um relacionamento de amizade quando existem problemas de comunicação. Dessa vez Eun Hee toma a frente e quase pede que ele não desista da amizade e do vínculo que eles têm.  

Não há dúvidas, na minha opinião, de qual seja a mensagem que esse episódio nos deixa. Tanto Eun Joo quanto Ji Sook afastam os outros quando tem problemas. Ao invés de escolherem o caminho da comunicação, elas escolhem guardar segredos. Aqui vai uma máxima que não muda: “Ninguém vai adivinhar se você não contar!”.

Sobre esse episódio ainda, após comentarmos sobre ele em nosso grupo do whatsapp, chegamos a conclusão, tanto as Coreanas de Taubaté como o grupo, que esse drama além de ser um drama sobre memória e percepção das lembranças, também é um drama sobre a necessidade da comunicação honesta e aberta nos relacionamentos. Definitivamente esse não é um drama comum!

Bônus:

Como esse drama nunca acaba sem derrubar a gente da cadeira, o que será desse encontro da ex (talvez atual) do Geon Joo?

Como Ji Woo vai lidar com o fato de saber que Eun Joo não é filha de Sang Shik?

Qual é o tipo de relacionamento que Chan Hyuk e Seo Young possuem?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: