20/10/2021

REGULAR O TABACO EM TAIWAN REQUER SUTILEZA

As duas celebridades mais conhecidas pelo ativismo contra o fumo em Taiwan, a esquerda o ator Sun Yueh, e a modelo Chen Shu Li, ambos foram fumantes no passado. Sun morreu em 2018 aos 87 anos. Foto de John Tung Foundation

As taxas de fumantes estão caindo, mas o contrabando de cigarro continua sendo um problema importante.

O projeto de Lei de Prevenção de Riscos do Tabaco de Taiwan, passou pela primeira leitura na assembleia legislativa de Yuan em 2017, mas ainda não foi adiante no processo legislativo, recebeu um misto de reação de vários grupos de interesse. Além das alterações de Lei de Prevenção de Riscos do Tabaco, que ampliou o alcance das áreas  sem fumo e estipulou o aumento de 50% da área de etiqueta de aviso nas embalagens de cigarros, uma alteração da Lei de impostos sobre o tabaco e o álcool que entrou em vigor em junho de 2017,  aumentou o imposto sobre o cigarro de US$ 11,8 por pacote para US$ 31,8.

Muitas partes interessadas da indústria ficaram preocupadas com essa mudança. O Instituto do Tabaco da República da China (TIROC), uma organização sem fins lucrativos que representa as empresas de tabaco no marcado de Taiwan, destacou com criticismos o aumento dos impostos. “A demanda por cigarros ilícitos de baixo preço, cresceu consideravelmente após o aumento significativo e imprudente do imposto sobre o consumo de tabaco em junho de 2017, impactando tanto a indústria legítima, como o governo”, disse a TIROC.

Um escândalo recente envolvendo uma tentativa de contrabando de cerca de 10 mil cigarros em Taiwan, por dois funcionários do governo em julho, é um exemplo do tipo de atividade descrita pela TIROC. Nesse caso, as duas autoridades do Escritório de Segurança Nacional (NSB) que viajaram como parte da comitiva da presidente Tsai Ing Wen em sua visita ao Caribe, tentaram trazer cigarros para o país, com a ajuda de um funcionário da China Airlines. Os produtos foram apreendidos pela alfândega.

Os investigadores suspeitam de um padrão de comportamento, de contrabando de cigarro para revendê-los com lucro em Taiwan, pelos funcionários da NSB. Investigações internas foram iniciadas pela NSB e China Airlines.

As últimas alterações, também bani cigarros aromatizados. De acordo com o Ministério da Saúde e da Administração de Promoção da Saúde e Bem-Estar (HPA), mulheres jovens são mais propensas a fumar cigarro aromatizado, e elas são as que mais fumam tabaco aromatizado do que homens em geral.

No entanto, essa alteração também está enfrentando a reação da indústria do tabaco. “O Órgão de Resolução de Litígios da Organização Mundial do Comércio decidiu em 2012, que as medidas dos EUA que restringem o “aroma” de produtos de tabaco desrespeitam o Acordo sobre Barreiras Técnicas ao Comércio”, afirma a TIROC. “Já que não há evidências de que a proibição da cigarros aromatizados irão contribuir para a redução do consumo do tabaco, a permissão do uso dos sabores e aditivos, deve ser mantido”.

O Relatório Anual de Controle do Tabaco de Taiwan, publicado pela Divisão de Controle do Tabaco da HPA em 2018, revelou que o tabagismo de fato, está reduzindo em Taiwan. O relatório descobriu que a população fumante adulta, diminuiu drasticamente de 21,9% em 2008 pra 14,5% em 2017. Uma queda similar ocorreu entre os estudantes fumantes, a percentagem de estudantes do ensino médio que fumam, caiu de 14,8% para 8,3% durante o mesmo período.

Dr. Lai Chih Kuan, médico do Departamento de Medicina da Família no Hospital Geral de Veteranos de Taipei, notou que as vendas de tabaco em países desenvolvidos, incluindo Taiwan, diminuíram desde 2009. “Pra mim, como provedor de saúde, o que esperamos é que nosso povo possa estar livre dos danos do tabaco”, disse a Dr. Lai.

Apesar da queda global do tabagismo, Taiwan ainda está atras com relação a outros países desenvolvidos da Ásia Oriental, em seu progresso de redução do tabagismo. O índice de homens acima de 15 anos que fumam diariamente é atualmente de 27,9%, comparado com 25,4% em Singapura e 18,6% em Hong Kong. “A taxa diminuiu agora, mas não o suficiente”, disse o Dr. Lai. “Para finalizar conversa, de acordo com a [Organização Mundial da Saúde no Âmbito de Controle do Tabaco], uma taxa de menos de 5% é o nosso objetivo. Não somos contra as empresas de tabaco, mas temos que protegera população”.

Além disso, a rápida expansão do mercado de cigarros eletrônicos, ameaçou o progresso.  Apesar de os cigarros eletrônicos serem proibidos em Taiwan, ainda sim, estão amplamente disponíveis. A HPA descobriu que o consumo de cigarro eletrônico entre os estudantes que entram e que estão saindo do ensino médio aumentou de 2% e 2,1% respectivamente em 2014, para 2,5% e 4,8% em 2017, um aumento significativo. A HPA estima que há agora cerca de 52,000 menores em Taiwan que se envolvem com VAPE, como é chamado o cigarro eletrônico que eles usam.

As duas celebridades mais conhecidas pelo ativismo contra o fumo em Taiwan, a esquerda o ator Sun Yueh, e a modelo Chen Shu Li,ambos foram fumantes no passado. Sun morreu em 2018 aos 87 anos. Foto de John Tung Foundation

De acordo com um estudo publicado no International Journal of Environmental Research and Public Health, o único  perigo de cigarros eletrônicos é sua capacidade de atrair adolescentes que dificilmente experimentaram cigarro tradicional. Esse risco é facilitado por “estratégias sofisticadas de marketing direcionado” que promove uma grande variedade de sabores atrativos e alega que cigarros eletrônicos são menos prejudiciais a saúde humana, diz estudo. “Uma vez que a nicotina é provada, os adolescentes se tornam mais abertos ao fumo convencional”.

O estudo mostra que a troca de cigarros eletrônicos para cigarros tradicionais ocorre geralmente após dois anos. Considerando a maior disponibilidade e menor custo de cigarros, a escolha de mudar de forma pode ser por conveniência.

Dada a preocupação com o uso de cigarros eletrônicos, a assembleia legislativa de Yuan também considerou adicionar esses produtos à regulação das alterações pendentes da Lei de Prevenção de Riscos do Tabaco.

Alto custo para a saúde.

O fumo é responsável por 27 mil mortes por ano em Taiwan, de acordo com o relatório anual de controle do tabaco de 2018. Adicionando ao custo humano uma faixa de NT$ 185,8 milhões, composta por “despesas nacional direta com saúde de NS$ 65 bilhões e perdas indiretas de produtividade, totalizando NT$ 120,9 bilhões”.

Apesar do aumento do imposto de cigarros nas últimas alterações, a Fundação John Tung, uma organização sem fins lucrativos focalizada em tornar Taiwan livre do fumo, argumenta que os impostos sobre tabaco em Taiwan ainda são muito baixos. A Fundação enfatiza que ao longo dos últimos 30 anos, o preço de cigarros em todo o mundo aumentou drasticamente. Na Austrália, os preços aumentaram 12,7 dólares, em Nova York, em 8,5, e em Hong Kong, cerca de 4,75. Em contrapartida, o preço de cigarros em Taiwan aumentou pouco mais que o dobro durante o mesmo período.

“O preço do tabaco em Taiwan é muito baixo”, disse Lin Ching Li, diretor do Departamento de Prevenção de Risco ao Tabaco, da fundação. “Temos milhares de (lojas de conveniência) que funcionam 24h por dia, onde as pessoas podem alimentar seu vício por menos de NT$100 (aproximadamente R$ 20,00) É muito conveniente”. Ele e outros membros da fundação, esperam que o imposto aumente para 75% do preço total do tabaco no futuro.

A popularização do cigarro em Taiwan, está ligado ao sistema de recrutamento militar do país, nas últimas décadas, quando o cigarro era livremente oferecido aos soldados. Hoje, o tabagismo ainda é generalizado entre os militares, mas parece menos predominante do que no passado. Um estudo publicado pelo jornal Military Medicine, mostrou que a taxa de fumantes era 49,2% em 2006, enquanto uma pesquisa seguinte realizada em 2014 constatou que esse número diminuiu para apenas 30,1%

Essa queda pode ser atribuída em parte ao esforço direcionado pela HPA e o Ministério da Defesa para minimizar o tabagismo entre os militares. O programa integrado ao controle do tabaco e Noz de Areca, que consiste em sessões de conscientização, oportunidades educacionais e consultas psicológicas, foi lançado em 2003. Áreas de fumo em instalações militares foram gradualmente reduzidas e as políticas estritamente aplicadas.

As diretrizes Cessação do Tabagismo foram um instrumento fundamental para mudar a cultura do tabagismo dentro do exército. A equipe de oficiais médicos especializados da organização, oferece apoio aos militares, para ajudá-los através de tratamentos de cessação do tabagismo e potenciais sintomas devido retirada de nicotina.

Embora o progresso esteja sendo alcançado nessa área, as taxas de tabagismo ainda são mais altas no exército do que na população em geral. Os jovens recrutas são particularmente os mais suscetíveis a essa influência. A educação é importante, pois aqueles que têm melhor compreensão das implicações na saúde são menos propensos a começar o tabagismo.

Quanto ao tabagismo entre os civis, a Fundação John Tung cita o grande sucesso na mudança de como os taiwaneses veem o hábito. A Fundação usou programas educacionais e parcerias de celebridades para promover a educação e a conscientização sobre os potenciais perigos do tabagismo.

“Há quarenta anos, para a geração dos meus pais, fumar era considerado da conta de cada um. Não havia nenhuma razão para não poder fumar”, diz Lin. “A tendência internacional de conscientização do tabagismo ajudou muito, mas fomos os primeiros na Ásia a ter celebridades que se posicionaram contra o tabagismo e a tornarem-se voluntários”.

A extensa rede de celebridades da Fundação adere regularmente à campanhas para espalhar a conscientização para combater a noção de que o tabagismo é legal. Entre aqueles que trabalharam publicamente com a Fundação estão Jackie Chan, Ariel Lin, Jay Chou e Jam Hsiao.

O governo de Taiwan também está fazendo sua parte para reduzir o tabagismo. As agências do governo patrocinam um número de programas que visam incentivar a cessação do tabagismo. A linha telefônica de apoio aos fumantes, o serviço de aconselhamento administrado pela HPA ajudou mais de 140 mil pessoas a deixar de fumar ao longo dos 15 anos que está em operação. Além disso, os hospitais e as clínicas que fornecem tratamentos de cessação do tabagismo são reembolsados, e o governo continua a se associar com as ONGs e outros grupos para produzir campanhas de publicidade que direcionam o tabagismo dos jovens.

Fonte: Topics.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: