07/07/2022

Primeiras impressões do drama ‘Apostando Alto/Start Up’

Ficha Técnica:

Nome: Start-Up/스타트업
Diretor: Oh Choong Hwan
Roteirista: Park Hye Ryun
Gênero: Negócio, Romance, Comédia.
Rede: Tvn
Lançamento: 17 de Outubro a 6 de dezembro de 2020
Idioma: Coreano
País: Coréia Do Sul
Onde Assistir: Netflix

Apostando alto é o drama escrito por Park Hye Ryun, ela é mesma roteirista os dramas, While You Were Sleeping, Pinocchio, I Can Hear Your Voice, Dream High e muitos outros, já deu para perceber que ela gosta da Suzy, né? O diretor do drama é o Oh Choong Hwan e é o mesmo de While You Were Sleeping, pude perceber algumas semelhanças entre os dois durante algumas cenas, até pensei: “nossa, While You Were Sleeping, é você?”.

“Start-Up” se passa no fictício Vale do Silício da Coreia do Sul, chamado Sandbox, e conta a história de pessoas no mundo das empresas iniciantes.

Seo Dal Mi interpretada pela Bae Suzy sonha em se tornar o Steve Jobs da Coreia. Ela é uma aventureira que não possui muito, mas tem um grande plano. E também tem experiência em uma ampla variedade de empregos de meio período e é uma pessoa de grande vitalidade.

Nam Do San interpretado por Nam Joo Hyuk é o fundador da Samsan Tech. Ele já foi o orgulho de sua família como um gênio da matemática, mas nos últimos dois anos, não tem ido a lugar nenhum com os investimentos de sua empresa. Acontece que Seo Dal Mi se lembra dele como seu “primeiro amor”, e ele decide começar uma Start-Up na esperança de transformar o mal-entendido de Seo Dal Mi em realidade.

Han Ji Pyeong interpretado pelo ator Kim Seon Ho abre uma empresa para saldar sua dívida. Líder de equipe da SH Venture Capital, suas surpreendentes habilidades de investimento e língua afiada lhe valeram o apelido de “o Gordan Ramsay dos investimentos”. Embora seja espinhoso com a maioria dos outros, ele é mais suave do que qualquer pessoa com uma pessoa especial que lhe concedeu um grande favor no passado.

Por último, a CEO Won In Jae interpretada pela atriz Kang Ha Na, tem tudo o que a sociedade respeita: formação educacional, bela aparência e dinheiro. Ela considera seu passado como chaebol de segunda geração uma fraqueza, e faz tudo o que pode para alcançar o sucesso por conta própria e ser reconhecida por suas habilidades. No entanto, ela acaba sendo usada e jogada fora por seu pai e, para deixar de ser uma peça descartável no tabuleiro de xadrez dele, In Jae se joga em uma Start-Up.

E o que foram esses dois primeiros episódios? Comecei como quem não quer nada, mas ao longo da história, foi me dando uma sensação tão boa, me conectei com os personagens de tal forma, que me vi sendo espectadora da história deles e torcendo para que tudo desse certo. 

No primeiro episódio tivemos uma introdução da vida dos personagens, Seo Dal Mi e Han Ji Pyeong, como foi a vida dos dois. Seo Dal Mi viu seus pais se separando devido a problemas financeiros, ela escolheu ficar com o pai, porém, sua irmã escolheu ficar com a mãe e as duas foram embora, então, de repente Seo Do Mil se vê sem sua mãe, e irmã e que também era sua melhor amiga.

Han Ji Pyeong é um órfão que morava em um orfanato, e teve que sair, pois já estava em uma idade em que o orfanato não o aceitava mais, com apenas dois mil dólares, se viu sem saída e sem ter onde morar. Seu caminho acaba cruzando Choi Won Deok interpretada pela atriz Kim Hae Sook, ela é avó de Seo Dal Mi, e ela lhe dá um abrigo para morar e tenta ajudá-lo como pode.

Han Ji Pyeong mais novo foi interpretado pelo Nam Da Reum, claro, porque assim como a roteirista gosta da suzy, ela também gosta dele, ou seja, temos algumas figurinhas carimbadas aqui. E a semelhança dos dois é incrível, Nam da Reum e Kim Seo Hon parecem ser a mesma pessoa! E o que dizer da interpretação desse menino? Incrível como sempre, uma atuação com palavras afiadas, divertidas, mas ao mesmo tempo emocionante, ele está de parabéns!

E o que liga os dois, foi o fato de Won Deok ter pedido ao Ji Pyeong que escrevesse cartas para a Seo Dal Mi, para confortá-la pelo fato dos pais terem se separado. Fingindo ser outra pessoa, os dois trocam cartas por um bom tempo, e é aí que quero chegar, o bendito triangulo amoroso. Nos dois trabalhos que vi da roteirista, ela nos deu um triângulo, e o shipp errado era fofíssimo que você ficava com pena dele ficar sem ninguém, e agora eu me pergunto, qual a necessidade de nos fazer sofrer? Porque o Ji Pyeong é a coisa mais fofa desse mundo, e se eu não soubesse que o Nam Joo Hyuk faz parte desse drama, ele nem ia fazer falta (risos), já que só apareceu nos últimos 20 segundos do primeiro episódio, será que isso é um sinal dos céus? Só continuando para saber.

E o que dizer do personagem do Nam Joo Hyuk? Eu falei que não ia shipar, mas foi só aparecer na tela, que me derreti toda, a história dele me comoveu e eu até chorei, torcendo para que desse tudo certo.

E o ship pessoal? O que pensar? Tem horas que eu acho que é o Nam Do Sam, mas aí troco para o Han Ji Pyeong, só se que esse é o único drama que assisti que penso que tanto faz com quem ela ficar, ficarei feliz, apesar de que o menino bonzinho me deixou bem chateada no segundo episódio.

Me julguem, mas acho que devo ser a única pessoa desse planeta que gosta da atuação da Suzy, eu a vi atuando em While You Were Sleeping e achei bem ok, e agora em Start-Up, a achei maravilhosa.

Um curiosidade bem legal, sam significa 3 em coreano, os três sócios da SamSan Tech tem San no nome, por isso sam San, ou seja, 3 San. 

Achei bem legal o pai da Seo Dal Mi falando com ela ao telefone e explicado sobre o desenvolvimento da internet e celular, e depois eles foram mostrando a evolução da tecnologia, muita legal. E uma coisa que gostei bastante, foram as coisas usadas no episódio, tudo muito colorido, até mesmo a fotografia, eu senti que foi bem vibrante e acho que isso ajudou bastante a criar uma conexão com o drama.

Start-Up foi uma grande surpresa, me senti muito maravilhada por ter começado, espero que não decepcione.

O tombo foi bem grande, já no primeiro episódio a roteirista nos trouxe dor e sofrimento, chorei horrores, e ao mesmo tempo nos trouxe um alivio cômico, bem como quando o corretor disse que é importante passar por dificuldades na juventude, elas valem ouro, e então Ji Pyeong pediu que ele as comprasse as suas que ia fazer um desconto, um ícone minha gente, um ícone. Dois episódios de 1h e 20 minutos que nem percebi passando.

E aí pessoal? Já começaram a acompanhar o Start-Up ou apostando alto? Como queiram.

Nota: O texto fora feito enquanto o drama estava em andamento, mas estão sendo colocados no site só agora, então, alguns surtos foram delírios.

Posts Relacionados:


One thought on “Primeiras impressões do drama ‘Apostando Alto/Start Up’

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: