23/05/2022

Resenha: Do You Like Brahms?

Nome: Do You Like Brahms?/ 브람스를 좋아하세요
Diretor: Jo Young Min
Roteirista: Ryu Bo Ri
Gênero: Música, Romance, Drama.
Rede: SBS
Lançamento: 31 de Agosto a 20 de Outubro de 2020
Idioma: Coreano
País: Coréia Do Sul
Onde Assistir: Kocowa e Viki

Sinopse: Desafiando a oposição de sua família, Song Ah ( Park Eun Bin), é aceita na escola de música da mesma prestigiada universidade em que se formou antes em negócios. Como ela é sete anos mais velha do que seus colegas de faculdade, sua nova vida acadêmica parece assustadora, e ela luta para encontrar forças. Um dia, Song Ah ouve Joon Young (Kim Min Jae) tocar “Traumerei”, o que a consola. Joon Young é um pianista talentoso que começou a tocar piano quando tinha seis anos. Ele é amigo de Jung Kyung ( Park Ji Hyun) a neta da CEO do Grupo Kyunghoo, e ele está apaixonado por ela. Quando decide manter distância de Jung Kyung, ele conhece Song Ah.

ESSE TEXTO CONTÉM SPOILERS.

Estava esperando esse drama porque amo demais a Park Eun Bin, estava muito ansiosa e logo de cara me apaixonei muito pelo casal. 

Clara foi o grande amor de Brahms, e ela era esposa de seu melhor amigo Schumann. E acho que isso explica algumas coisas sobre o enredo do drama.

Song Ah nutre sentimentos por Dong Yoon (Lee Yu Jin) que é o ex-namorado de sua melhor amiga Min Sung (Bae Da Bin) (ela ainda o ama). Joon Young ama Jung Kyung que é sua amiga desde a adolescência, mas a 10 anos ela está namorando o melhor amigo dele chamado Hyun Ho (Kim Sung Chul), e a história vai se desenvolver nisso. 

Chae Song Ah é uma mulher mais velha que decidiu se graduar em música, com isso, ela vai enfrentar alguns obstáculos, que são sua família, e o preconceito das pessoas de sua classe.

Joon Young é um pianista que participa de competições desde cedo para ajudar a família, e para recompensar sua patrocinadora, por tudo que ela fez por ele. Mas alguns só o veem como um rostinho bonito, e é só notado por causa disso. 

Eu estava esperando tanto esse drama, e fiquei muito envolvida com a história, mas o roteiro conseguiu se superar e entrar na minha lista de um dos piores dramas do ano, e eu vou explicar o porquê.

1 – PERSONAGENS

Falando um pouco sobre os personagens, eu acreditava que a Song Ah era uma das melhores personagens da atualidade, ela tem a personalidade de todas as mocinhas indefesas que vemos por aí, E a cada episódio ela ia dando um show, sempre tomava atitudes para se colocar em primeiro lugar e focava em sim, viu que talvez seus sentimentos podiam não levar a nada, e quis se manter segura. Tomou atitude de se declarar primeiro, participou da aula da Jung Kyeong porque disse que sua carreira era importante, por vezes falou para o Joon Young como se sentia, e sempre tentou ser o mais aberta possível, ela terminou o relacionamento porque aquilo estava sufocando-a e seus sentimentos estavam lhe deixando mal, e precisa focar em si em sua música. 

Tudo no drama se resumia a Song Ah e a entrada tardia no mundo da música, e como íamos vê-la se superando e enfrentando todos os obstáculos para ser uma violinista. Porém, o que me entregaram no final, foi uma personagem que sofreu humilhação de tudo quanto é tipo durante 15 episódios, e que todas essas humilhações acabaram sendo verdadeiras, somente sofrimento gratuito. Como vimos, no final, ela largou a música, e não só largou, como também vendeu o instrumento, e isso não me entra na cabeça de jeito nenhum, a sinopse e o enredo do drama não focava em alguém que tinha entrado no mundo da música um pouco tarde? Que amava a música e enfrentou tudo e todos para seguir esse caminho? Por que no final, ela não pode continuar tocando nem por hobby? Por que o Joon Young que sempre se sentiu infeliz tocando e deixava isso bem claro desde o primeiro episódio, pôde redescobrir seu amor pela música e a Song Ah não? Por que ela foi trabalhar praticamente como secretária do namorado? O que me deixou mais indignada ainda. 

Vocês podem dizer que os dois cresceram juntos, mas não, somente pudemos ver a vida dele progredindo e a vida dela tomou um caminho totalmente diferente. Vocês podem me dizer também que foi legal porque a mostrou desistindo aos poucos do instrumento e não foi abrupto e aquilo não foi sendo mais importante. Eu não sou musicista, mas acredito que o amor pela música não acaba assim, mesmo que as pessoas escolham outros caminhos, mas seu instrumento sempre vai estar ali para quando tiver um tempinho para tocar ou quiser sentir novamente como é a sensação, isso é você dar um tempo, mas não se distanciar totalmente. O que é engraçado, porque até a Min Sung que foi estudar nos Estados Unidos como química, permaneceu tocando seu instrumento como hobby, mas Song Ah não.  O final dessa personagem foi um dos mais tristes que já vi. 

Nem sei se tenho muita coisa a falar do personagem do Kim Min Jae, ele não foi o que me chamou a atenção no drama, me parecia ser sempre apático, o que tomava as atitudes erradas, mas que no final, foi o mais beneficiado de todos, se assim posso dizer. Acho que o que incomodava, não só a mim, mas a todos, era o fato dele ser usado como caixa eletrônico pela família, e tudo e todos comandavam mais a vida dele do que ele mesmo. Isso mostrou como o relacionamento familiar também pode ser tóxico. 

Falando do relacionamento da Jung Kyeong e do Hyeon Ho, fiquei chocada que os dois ficaram 10 anos juntos, e ela resolveu machucá-lo de todas as formas possíveis, sofri junto com ele e adorei quando realmente decidiu cortar a Jung Kyeong e pedir que não o procurasse mais. Fiquei feliz por ele ter seguido a vida e ter ido tocar em uma orquestra e foi sem nem olhar para trás, por mais que no final tenha dado a entender que os dois iriam voltar de alguma forma. A Jung Kyeong foi a vilã da história, por assim dizer, tomou atitudes para separar o casal, e tudo isso por um amor que ela achava que sentia, mas na verdade era inveja pelo Joon Young ter o sucesso que ela queria ter. O final dela ficou meio ali em suspenso, continuo tentando ser professora e tocando. Mas como ficou a fundação? A grande “briga” da avó era para que ela assumisse a diretoria, mas no final, isso também ficou em suspenso e a roteirista não concluiu.

2 – ROTEIRO

Como já falei acima, a trama trouxe uma proposta e não sustentou, uma pessoa que ia enfrentar dificuldades para se tornar musicista, mas que no final não foi nada disso, e o que pude sentir é que a moral foi, “você realmente não pode fazer o que sonha, desistir é a melhor solução, só arranje um boy magia e pronto, está tudo certo”. É como minha amiga Thais diz, ‘isso é bem típico do confucionismo’. Ela terminar casada com um homem que não desistiu do sonho. Bem como a própria Song Ah disse “Por causa desse homem, mesmo que eu me machuque várias vezes, eu seguirei amando, por isso, seguirei sonhando. Mesmo que me machuque de novo, de todo coração eu amarei novamente e seguirei em frente”.

Muita gente reclamou que o drama era lento, mas sinceramente, eu não achei, acontecia muita coisa em dois episódios que você não sabia como iam fazer para resolver depois. Toda a dinâmica do drama era calma, da cor das roupas dos personagens (que não sei se vocês perceberam, mas ninguém usava roupas de cores vibrantes) à OST. O modo de falar de todos, era bem contido, até mesmo daqueles que nos faziam raiva, você não via eles se exaltando. Jung Kyeong e Hyun Ho também, mesmo com toda a turbulência do casal, as cenas deles eram mais calmas, mas ainda sim lhe causava um impacto, o roteiro de ‘Do You Like Brahms?’ lhe causava todas as emoções sem fazer barraco.

Uma coisa que me incomoda bastante, e eu percebi que é o estilo do diretor ou roteirista, seja lá quem for o responsável por essa parte, foram os cortes de cena. Quando isso aconteceu, não consegui ter sensação nenhuma de continuidade, e confesso que me deixou bem frustrada com relação ao desenvolvimento do drama. O que aconteceu depois que eles se abraçaram na sala de ensaio? Qual foi a continuidade da confissão do Dong Yoon para a Song Ah? Como ela saiu da casa do Joon Young naquela noite? O que a mãe e irmã da Song Ah falaram para ela depois que encontraram os dois juntos? Entre muitos outros, sei que isso é respondido mais para frente, e eles retomam o que foi dito, mas em minha mente, isso não encaixava, preferia que houvesse continuidade de cena e depois fosse retomada, do que essa quebra bem no meio, para mim cortou todo o desenvolvimento da história.

Percebi que a essência do nome do drama, não era somente em relação de amor não correspondido entre os amigos, mas também entre suas situações, Song Ah e o instrumento, Joon Young e a música, Jung Kyeong e sua carreira. E a roteirista deixou claro isso no episódio 15 e por aí já sabíamos que rumo o drama ia tomar.

Do you like Brahms? Foi um drama que curti muito até o episódio 14, realmente tive muitas expectativas com ele, mas como mulher, não posso deixar de lado o fato que foi feito com a personagem feminina, a gente sabe que em nossa sociedade tudo é mais difícil para as mulheres, e o drama no final trazer uma que desistiu assim, para mim, vai contra a tudo que acredito, e vocês podem até achar que estou exagerando e que isso não tem nada a ver, e tudo bem, porque cada um pensa de uma forma, mas realmente me doeu muito e eu chorei quando vi a situação para qual ela estava indo. Chorei de raiva e de tristeza por mais uma personagem feminina que se perdeu.  E não gente, essa não é a forma de representar a vida real. 

Foi unanime entre os comentários que ninguém gostou dela ter largado o violino, mas o romance foi entregue com sucesso, e esse é o meu maior problema com os dramas coreanos, sempre entregam romance em primeiro lugar, eu estava preparada para os dois não terminarem juntos, e cada um evoluísse a sua forma, mas no final, a música não prevaleceu. Quero que fique bem claro que não sou contra romance, todos gostamos de romance não é mesmo? Mas precisa sim, haver uma coerência aí.

3 – E HÁ PONTOS POSITIVOS?

Para não ficar só na parte negativa do drama, gostei muito do dueto dos dois, foi muito lindo vê-los tocando juntos, sei que muita gente estava esperando por isso e eu também. Não posso deixar de falar da atuação da Park Eun Bin, ela foi excelente, e mostrou como pode ser versátil, quem a viu em ‘Stove League’, sabe do que estou falando. E outro ponto positivo, foram as OSTs, o drama teve muitas músicas boas, de artistas como Chen, Punch, Bakhyeon, Taeyeon entre outros. A química dos dois foi inegável, um casal muito fofo e que fazia a gente surtar com cada interação.

Minha nota: 5/10

CONSIDERAÇÕES FINAIS

‘Do You Like Brahms?’ tinha tudo para ser um drama excelente, mas para mim, o final invalidou praticamente toda história que o roteiro vinha contando. Não tenho problemas com finais “tristes”, mas tenho como finais incoerentes que foi o que esse drama trouxe. Mas não podemos deixar de exaltar a personagem Chae Song Ah, tiveram muitas cenas boas e em que eu realmente aplaudi de pé e que me causaram muita felicidade. Bom gente, essa foi minha visão sobre o drama, sei que muita gente amou, mas infelizmente para mim não foi legal, porém, não me arrependo de ter visto, acho que de tudo a gente consegue tirar um ensinamento, nem que seja sobre o que não fazer. 

Apesar de tudo, esse drama rendeu alguns textos bem legais e vou linkar todos aqui no final da postagem, inclusive temos um texto bem legal sobre o significado do título de cada episódio, que fiz em parceria com uma de nossas seguidoras, ficou bem legal, espero que gostem.

POSTS RELACIONADOS:

Vivian Kelen
Vivian Kelen

Assisto dramas desde 2018 e “para todos os garotos que já amei” me trouxe até esse mundo. Minha missão nessa terra é espalhar a palavra da dramalandia. Meus dramas favoritos são Black Dog e Stove League. E não se esqueçam, amem Stray Kids.


2 thoughts on “Resenha: Do You Like Brahms?

  1. Essa resenha caiu como uma luva pra mim! Eu tô assistindo Do You Like Brahms? e no episódio 6 me bateu uma vontade de dropar . Assisti só o 7 e fui caçar outras opiniões pra ver se o problema era só eu que enxergava.
    Achei a Song Ah muito apagada! Não concordei com a decisão dela de se declarar, sem saber se seria correspondida, e num momento horrível da vida do Joon Young!
    Achei que infelizmente a Song Ah teve a “síndrome Oh Hae Young”, onde a menina não tem um pingo de amor próprio mas quer amar o outro acima de tudo -e acaba se entregando de cabeça num relacionamento conturbado.

    Gostei muito do texto!
    Ari – 2-pontinhos.blogspot.com

    1. Nossa, só de lembrar desse drama, me sobe uma ira, eu chorei de tanta raiva no episódio final, não acreditava no que estava vendo. mas sei que muita gente exaltou porque o casa fofo ficou junto no final. A Song Ah teve muitas falas boas durante todo o drama, mas no final, não adiantou de nada e foi tudo invalidado. Obrigada por ter gostado do texto!

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: