08/08/2022

Resenha de 50% do drama Run On (Na Direção do Amor)

INTRODUÇÃO

Já tive as melhores primeiras impressões ao assistir os dois primeiros episódios desse drama que já me conquistou logo de cara.
Vou avisando que terá spoiler então se você ainda não assistiu, corre para assistir e depois volte a ler.


ASSISTA NOSSA PRIMEIRA IMPRESSÃO DO DRAMA ‘RUN ON’ NO NOSSO CANAL DO YOUTUBE.


Atenção! Esse texto possui conteúdos sensíveis/gatilho sobre bullying e violência.

Run On, um drama que poucas pessoas estão dando atenção. Mas é muito bom e vem trazendo várias reflexões sobre assuntos como bullying, mulheres na liderança, mercado de trabalho e relações familiares. Eu não esperava que Run On fosse me impressionar tanto mas nessa primeira metade até então está sendo perfeito e se não estragarem o roteiro será um dos melhores dramas do ano para mim.

PERSONAGENS

Estou encantada com a riqueza de detalhes e personalidade dos personagens então vou falar um pouco de cada um.

O Ki Seon Gyeom(Im Siwan), o nosso velocista no primeiro momento me fez o considerar inocente e ingênuo e ao longo desses episódios isso foi se confirmando. Mas ele não é um personagem bobo e sem personalidade. Ele tem um senso de justiça que eu admiro. Como no caso de bullying que ocorre com o seu colega atleta. Ele se envolve batendo nos agressores e tenta chamar a atenção do treinador e superiores para a situação complicada que o colega está enfrentando. Mesmo quando o pai dele tenta abafar o caso, ele não admite ser favorecido e exige punição pois não quer que deixem o bullying passar em branco. Quando ninguém dá ouvidos ele protesta ao se recusar a correr e faz uma declaração para a imprensa e assim conseguir garantir que a justiça seja feita. Durante uma crise existencial ele cita uma frase que me fez refletir muito. “Nunca estive tão cansado de viver. Porque eu não estava interessado na minha própria vida. De todas as coisas que eu amei, por que eu nunca fui uma delas?”

Isso me fez pensar em como nós nos deixamos de lado quando deveríamos ser prioridade na nossa vida. Por isso a vontade de se aposentar para descobrir o que ele realmente quer fazer.

Se for para dizer algo negativo é sobre ele é que nunca pensa em si mesmo. Deveria se impor mais e não deixar que os pais ditem o que tem que fazer da sua vida.

Oh Mi Joo (Shin Se Kyung) é uma personagem que me conquistou pela determinação, foco e maturidade. Ela como tradutora e intérprete enfrenta uns obstáculos no mercado de trabalho que é muito desvalorizado e ainda sofre por ser mulher nesse meio. Mas ela não abaixa a cabeça para ninguém e deixa muito claro o que quer e faz de tudo para conseguir alcançar suas metas. Ela teve uma infância difícil sem a presença dos pais mas não se vitimiza ainda que tenha sofrido bullying por isso o que me faz admira la ainda mais.

Seo Dan A (Sooyoung) é uma personagem que tem uma vibe poderosa e de certa forma auto suficiente, mas tem traços de soberba muito forte. Infelizmente, ela tem atitudes erradas que não dá para fechar os olhos. Exemplo? No primeiro episódio tem uma cena em que ela quer obrigar a protagonista a se ajoelhar para conseguir o trabalho e vemos claramente ela usando do seu poder para sub julgar outra mulher.

A Dan a tem um histórico familiar conturbado e sofre preconceito também por ser mulher e não poder ser a herdeira por mais que seja competente. E ainda é pressionada a se casar com alguém que convém a sua família. Ela mostrou a sua fragilidade ao confessar para o Young Hwa que seu sonho era ser jogadora de futebol mas não pôde por causa da família. E é por isso que sempre anda de tênis para não perder uma oportunidade de chutar a bola.

Sobre os problemas de saúde dela, o médico cita arritmia e depois ela mesma diz que é muito ansiosa e não pode deixar ninguém saber disso.

Será que estamos diante de uma personagem que sofre de ansiedade? Não acho que seja algo sério pelo que a ela deixou transparecer. Ficamos super empolgadas por mostrar uma protagonista dona de si, mas não queríamos que fosse mostrado apenas como um personagem masculino usando saias. Também entendemos o que o roteirista pode está querendo mostrar, mas se cair na mulher idiota que muda por amor e não reflete sobre nada. Fica complicado, não é? Vamos ver como será o desenvolvimento dessa personagem nos últimos episódios.

Lee Young Hwa(Kang Tae Oh) é um fofo. O tipo de pessoa que você se sente a vontade e quer ser amiga, sabe?

Tanto que conquista a amizade do Seon Gyeom que é uma pessoa bem reservada. Ele é muito carismático e jovial. É um estudante universitário de artes mas é talentoso tanto que tem seu talento reconhecido pela Seo Dan Ah. O único que não tem problemas familiares a não ser que o fato dos pais enviarem mel a ponto dele sair distribuindo seja um problema!?

ASSUNTOS SENSÍVEIS/DIVERSOS

Os assuntos abordados no drama apesar de alguns serem delicados não é apresentado de forma irresponsável. E estão sendo bem desenvolvidos.

Primeiro tópico será o bullying abordado na trama. Um atleta novato sofre violência física dos atletas veteranos. Isso causa um dano físico e psicológico no personagem. E eu me pergunto se isso não é uma cultura do bullying na Coreia. Por que seria uma cultura?

Esse assunto é abordado em vários dramas e tratado com descaso pelas autoridades. O protagonista ao revidar a agressão está combatendo bullying com bullying? Eu acho que não. Só está chamando a atenção para que os treinadores e profissionais se conscientizem. Esse é um assunto muito sério que deve ser abordado e reconhecido como um problema pois acarreta não só danos físicos mas também psicológicos nas pessoas.

E o bullying não é exclusividade do ambiente profissional mas também do ambiente escolar é até do familiar. Esse é um sério problema social que deve ser combatido.

Segundo tópico é a carreira de tradutora e intérprete da Oh Mi Joo. Essa profissão não é fácil e é muito pouco valorizada e ela ainda tem que enfrentar o preconceito por ser mulher. Tem aquela cena em que o professor faz um comentário machista e ela o questiona que se ser mulher importa, já que nos filmes o que aparece são as suas legendas e não o rosto dela.

Abrindo um sub tópico sobre a Seo Dan A que apesar de ser bem sucedida profissionalmente e muito competente também sofre preconceito por ser mulher e não poder herdar os negócios da familia. E eu acho isso totalmente irrelevante porque hoje em dia o que deveria importar é a competência da pessoa e não o fato de ser mulher ou homem.

Terceiro tópico é as relações familiares que são bem mais complexas do que se imagina e trazem muitas reflexões. Ki Seon Gyeom tem problemas com o pai que quer ditar tudo o que ele faz da vida e o pior é que ele se deixa guiar por isso sem se impor a sua vontade. Por isso que ele sofre uma crise existencial e quer largar tudo e se aposentar para finalmente correr atrás dos seus sonhos. Sua relação com a mãe é um pouco melhor mas ainda assim não muda muita coisa porque a mãe acaba se restringindo por causa da autoridade do pai mas também porque ela prioriza a carreira de atriz ao invés do papel de mãe e nunca deu muita atenção a criação dos filhos. Mas durante uma conversa entre eles nós vemos como ela é consciente desse problema apesar de não fazer nada para mudar. A relação da Seo Dan Ah com a família é ainda mais complicada. O pai tem filhos de uma outra relação. E por serem homens eles têm mais regalias como poder tomar a frente dos negócios da família embora ela seja a mais competente. E ela tem um irmão Idol que a persegue mas se vê que ele é carente de atenção e quer construir uma relação com a irmã mesmo que seja na base do ódio que ela sente por ele.

E eu não acho nada legal a forma que ela o trata apesar dele ser bem invasivo e por mais ódio que ela sinta da mãe dele e até mesmo de seu pai. Como o próprio irmão dela diz que não tem culpa e não pôde escolher quem são seus pais. A Oh Mi Joo sofre exatamente por não ter ninguém na vida. Por mais que ela seja uma pessoa independente não consegue deixar de lado o fato de ter crescido sozinha e ter sofrido bullying com isso. Quando ela fica doente ela resmunga chamando pela mãe e conta ao Seon Gyeom que aprendeu isso com outras crianças porque não teria como saber disso por ser só. É nesse momento que o Seon Gyeom fala que ela pode chamar por ele que é alguém que vai poder estar ao seu lado. E isso nos leva ao último tópico.

E por último mas não menos importante quero falar sobre os romances. Estou amando a forma que a relação entre a Mi Joo e o Seon Gyeom está sendo desenvolvida com uma leveza, de forma saudável e natural. E quase como se o amor fosse uma consequência e não a causa.

A forma como eles cuidam um do outro é linda. A Oh Mi Joo até enfrenta o pai dele e não se deixa abalar pelas ameaças. E nessa próxima fase quero ver esse amor florescendo. Tem tudo para ser um romance lindo e maduro.

A relação entre a Dan a e o Young Hwa também é muito boa. Eu acho que o jeito jovial dele quebra um pouco esse jeito frio e soberbo dela lidar com as pessoas. Embora ainda seja cedo, porque o romance ainda está em fase inicial, ouso dizer que será de uma leveza e fará bem a eles.

CONCLUSÃO

Eu estou muito satisfeita com o drama até aqui e espero que essa segunda fase continue com o roteiro bem embasado e desenvolvendo os assuntos e relações da melhor maneira possível.

Ainda não começaram a assistir o drama Run On ou Na direção do amor? Pois pode correr para acompanhar que eu recomendo muito. Se já assistiram deixem seus comentários sobre o drama.

Confira nosso vídeo de resenha sobre o drama!

One thought on “Resenha de 50% do drama Run On (Na Direção do Amor)

  1. Nossa, que série mais sem gracinha. Que coisa mais morna e desinteressante. Tá certo que aborda temas importantes, mas não passa disso. O romance, se é que podemos chamar aquilo de romance, demora séculos para acontecer alguma coisa. Apesar de gostar do elenco, foi extremamente cansativo pra mim.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: