22/05/2022

Resenha: Sweet Home

Ficha Técnica

Nome: Sweet Home / 스위트홈

Diretor: Lee Eun Bok 

Gênero: Ação, Horror, Psicológico, Thriller, Drama, Sobrenatural e Horror

Rede: Netflix

Data de lançamento: 18 de dezembro de 2020

Idioma: Coreano

País: Coréia do Sul

Classificação Indicativa: 18+

Sinopse: Hyun Soo, um estudante solitário do ensino médio que perdeu toda a família em um terrível acidente, muda-se para um antigo complexo de apartamentos chamado Green Home. Levado pelo desespero, ele gradualmente percebe o segredo da casa verde. O fato de que um monstro tentando tirar a humanidade de várias formas de desejos humanos distorcidos rodeia a Casa Verde, incluindo ele mesmo, e que os residentes de Casas Verdes estão presos neles.

ALERTA: Esse drama possui classificação indicativa +18 por conter muitas cenas de violência. É um drama que possuí alguns gatilhos como bullying, tentativa de suicídio etc. Contudo, nada tratado de maneira leviana, tudo tem um embasamento. Se você tem alguma sensibilidade a algumas dessas coisas, é recomendado que não veja esse drama. 

Esse texto pode conter spoilers.

Sweet Home, nome que causa uma certa confusão pela sua ambiguidade quando comparado ao tema principal do drama, certo? Sweet Home é um drama de terror psicológico que chegou como não quer nada, mas acabou entrando na lista de melhores do ano de muita gente. Confesso que não estava muito animado para ver esse drama, até porque o gênero não me apetece tanto, mas de última hora comecei a vê-lo e confesso que não há arrependimentos, o drama é fantástico!

 Sweet Home é inspirado em um Webtoon lançado na Coreia e a adaptação da Netflix ficou impecável. A seguir vamos pontuar alguns pontos que fazem desse drama um dos melhores lançados nesse ano.

Opinião 

Este texto será baseado na minha opinião ao ver o drama. Quem não viu, tire um tempo e veja. Tentarei não dar muitos spoilers ao passo que escrevo o texto, mas ainda assim é impossível não soltar alguns, então quem não gosta de spoilers, veja o drama, como falado acima, e depois retorne aqui para ler o texto. Uma pequena observação do bem: Vocês não irão se arrepender de ver esse drama!

Sweet Home é um terror psicológico que acompanha um grupo de pessoas no meio de um apocalipse nada convencional. Do nada as pessoas começam a se transformarem em monstros, dependendo de seus sentimentos, monstros esses que são extremamente bizarros e com grandes habilidades. A pegada é bem apocalipse zumbi, mas o foco no horror e thriller é o ponto chave aqui e não a sobrevivência em si, por mais que ela esteja presente no roteiro da trama. O tema base deste drama é bastante usado no meio pop atualmente, mas o drama consegue ser único com a sua proposta, fazendo com que fiquemos vidrados na tela esperando ansiosos para o próximo episódio. 

Os sentimentos vendo esse drama são mistos, é impossível descrever todos os sentimentos que temos ao assistir. Pelo tema que ele traz a gente já espera que a interação e a comparação entre humanos x monstros sejam um dos pontos mais fortes da trama e o drama cumpre muito bem com isso. Ao longo do drama temos alguns flashbacks que explicam um pouco da história do protagonista, que é a grande estrela, e começam a nos trazer esse tipo de reflexão sobre como os próprios humanos podem ser tão piores quanto aqueles monstros que os estão atacando e os ameaçando a todo momento. 

A história é focada no protagonista, mas não totalmente. Tem várias vezes que ele parece apenas um coadjuvante, mas que ainda é um protagonista. Sei que parece complexo, mas vou tentar explicar. O protagonista é um jovem que perdeu seus pais e sua irmã em um acidente de carro e que a partir dali acaba vivendo um grande dilema, perdendo totalmente a vontade de viver e de encontrar um propósito para vida. Com isso, ele acha que não serve para nada. Quando o mundo muda ele é um dos únicos a resistirem a “infecção”, fato esse bem explicado dentro do drama, essas pessoas que resistem a infecção acabam por ganhar habilidades extraordinárias sem perder o controle de si mesmo, se transformando em uma das esperanças da humanidade vencer aquele mal que os está assombrando. Os sobreviventes que estão com ele acabam por usá-lo em diversos momentos o levando a um estado coadjuvante, mas para ele aquilo ali é uma forma dele se achar necessário e de finalmente poder ter um propósito na vida. O dilema do personagem e a evolução do mesmo é uma das melhores coisas do drama.

Roteiro

Como eu falei acima, o roteiro tem um plot muito comum dentro da cultura pop, mas a forma como ele é nos entregue acaba por fazer ele ganhar uma roupagem bem única. A forma como tudo é montado é deslumbrante. O roteiro te mantém ativo em todos os episódios e isso é esperado já que o drama tem Tag de ação. A história que o roteiro constrói ao longo do drama é bem linear, sendo totalmente resumida, na maior parte do mesmo, ao prédio onde todos moram, mas isso não é um ponto negativo, eu gostei bastante dessa perspectiva de mostrar um apocalipse. A curiosidade para saber o que está acontecendo fora daquela “bolha” e como todo o mundo está lidando com tudo aquilo é gigantesca e é um dos motivos para continuarmos vendo o drama esperando alguma resposta.

Quando imaginamos um apocalipse desse tipo, logo pensamos que a humanidade se juntaria e tentaria lutar contra aquele mal em comum a todos, contudo não é bem assim que as pessoas funcionam. Em um mundo onde as leis/regras não existem mais, muitas pessoas começam a transparecer a sua verdadeira face, sua verdadeira identidade. O roteiro desse drama traz isso de uma maneira bem natural e que vai evoluindo a forma como é abordado ao longo dos episódios. Desde a um simples egoísmo, quando um personagem nega comida aos demais, até um grupo querendo praticar as mais diversas atrocidades que vocês possam imaginar aos sobreviventes do prédio. Muito disso nos faz pensar em uma coisa… “Os seres humanos seriam o maior inimigo em um cenário como esse”.

 O drama traz uma incrível reflexão quando nos faz comparar humanos com monstros, nos mostrando várias vezes durante a trama que o monstro pode ser a pessoa que está ali do nosso lado. O “fato” subentendido de que qualquer um pode se transformar em um monstro pode ser interpretado também dessa forma figurativa. É um ponto extremamente positivo dentro do roteiro na minha opinião.

Um outro ponto importantíssimo é que o roteiro não tem medo de matar personagens que cativaram o público ao longo dos episódios. Temos bastante mortes impactantes ao longo da trama, mas nada é feito sem propósito. Cada morte de um personagem tem um significado grande para a evolução do grupo e a evolução de personagens individuais. O roteiro trata de muitos outros assuntos sensíveis como bullying, alto mutilação, tentativa de suicídio, mas nada feito de forma leviana, tudo tem um proposito e nada sensível é tratado de forma romantizada. Ponto bastante positivo dentro do roteiro já que muitos outros dramas, que tratam sobre esses assuntos sensíveis, acabam por ser irresponsáveis em tratar dos mesmos.

Todo o roteiro tem um desenvolvimento incrível, de cair o queixo. Tudo ao longo da trama faz sentido, em nenhum momento o drama se perdeu, na minha opinião, tudo foi devidamente encaixado dando origem a um roteiro incrível com vários pontos em abertos que abrem margem para uma segunda temporada.

Personagens 

Além do tópico roteiro esse é um outro tópico que literalmente faz o drama ser tão bom quanto ele é! Cada personagem desse drama tem uma profundidade absurda que é agravada tanto pelo roteiro, que é incrível para cada personagem, quanto pela atuação. Cada personagem tem uma importância muito grande para a trama, mesmo que sejam apenas suporte. Destaque aqui para o protagonista que é simplesmente muito bem desenvolvido na trama. Ele é um exemplo de pessoa incrível que foi totalmente destruída por outras pessoas, mas que ainda há um sentimento e um desejo de viver, mesmo que pouco. Os outros protagonistas também são essenciais dentro da trama. O personagem do Lee Jin Wook desempenha um papel de misterioso, justiceiro… É um personagem que vai sendo bem construído ao longo do drama e que eu gostei muito. Toda cena que ele aparecia era de explodir a cabeça. A personagem de Lee Si Young é uma das melhores coisas nesse drama, personagem extremamente complexo. Um exemplo de mulher forte e inteligente.

 Todos os personagens são extremamente bem construídos e necessários. Se formos analisar os personagens pelo último episódio vemos que muitos ali sabiam mais ou eram mais do que diziam/aparentavam. O plot do final é simplesmente incrível quando se foca na construção e desconstrução de alguns personagens dentro do drama. A gente fica com aquela pulga atrás da orelha sobre alguns personagens e sobre qual papel eles realmente desempenhavam e sobre quais são os seus objetivos, todavia isso só será respondido em uma possível segunda temporada.

Atuação e Efeitos Especiais 

Atuação aqui é uma das melhores. Todo mundo dá um show de atuação. Esse é um tipo de drama que se não tiver uma boa atuação acaba por estragar toda a trama. O drama tem muitos efeitos especiais, que são incríveis, irei comentar mais a seguir. Por ter muitos efeitos especiais, muitas cenas são feitas atrás de uma tela verde ou com outro recurso para a adição de CGI. Sabemos, ou podemos imaginar, que atuar nessas condições acaba por ser bem mais difícil do que a atuação convencional e os atores conseguem entregar uma atuação deslumbrante que nos causa muitas emoções como: Empatia, tristeza, nojo etc. Destaque aqui para o protagonista principal da obra que é o Song Kang, confesso que não conheço muito o ator, apenas o vi em Love Alarm. Contudo, o drama que com certeza vai consolidá-lo como um ótimo ator é Sweet Home. Ele conseguiu entregar uma atuação sólida e coesa mesmo não tendo muitos dramas no qual ele foi o protagonista da obra. Deslumbrante é a palavra que encontro para a atuação incrível nesse drama.

Como falei acima, os efeitos especiais desse drama estão em outro patamar. Eu, particularmente, não vi um drama de fantasia da Coreia com efeitos tão bons quanto o desse. Eu não sei o orçamento desse drama, mas com certeza os caras fizeram um grande trabalho produzindo esse drama. Uma curiosidade é que os efeitos dos monstros são tão bem feitos que deve ser a maior causa do medo nas pessoas.

Conclusões 

Sweet Home é uma das grandes surpresas desse finalzinho de 2020. Um drama que poucas pessoas esperavam ansiosas, mas que no fim surpreendeu a todos os que o assistiram com um plot relativamente simples, mas muito bem escrito e bem chocante em algumas partes, atuações espetaculares, efeitos especiais fantásticos etc. Um drama incrível para acabar esse ano tão conturbado de 2020. Aos amantes do horror, thriller e terror psicológico esse é o drama feito para vocês. 

Deixe as suas conclusões ao assistir ao drama abaixo. ^^

Minha Nota: 10/10.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores originais e não refletem necessariamente a opinião das Coreanas de Taubaté.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: