07/07/2022

PRADA AMEAÇADA NA CHINA, EMBAIXADORA DA MARCA ENVOLVIDA EM ESCÂNDALO DE ABORTO

Zheng Shuang foi acusada pelo ex-namorado de considerar forçar as mães de aluguel a interromper a gravidez de sete meses.

LONDRES – Menos de 12 horas depois que Raf Simons revelou sua primeira coleção de roupas masculinas assinado por Miuccia Prada, a marca de luxo italiana está sendo noticiada no site de microblog da China Weibo por um motivo totalmente diferente.

A atriz chinesa Zheng Shuang, que na semana passada apareceu na campanha do Ano Novo Chinês da marca ao lado de Chung Xia e Cai Xukun como nova embaixadora, foi acusada por seu ex-namorado, o produtor Zhang Heng, de considerar forçar mãe barriga de aluguel dos EUA, que carregava seu filho, a encerrar a gravidez de sete meses em 2019, porque o relacionamento deles tinha chegado ao fim.

Zhang disse em uma postagem do Weibo na segunda-feira que está preso nos EUA há mais de um ano porque ele e sua família “devem cuidar e proteger duas vidas jovens e inocentes”.

Mais tarde, a imprensa local obteve duas certidões de nascimento dos estados do Colorado e Nevada, respectivamente, para o filho mais velho e a filha mais nova do casal. Parecia que o nome de Zheng estava listado em ambos os documentos, com uma data de nascimento correspondente aos documentos legais chineses.

Uma audiência agendada para 22 de março para “dissolução e ordens permanentes” foi descoberta por internautas da China com seus nomes no caso.

Mais tarde, um suposto amigo de Zhang compartilhou uma gravação com a mídia na qual os dois e seus pais supostamente discutem o que fazer com os filhos que ainda não nasceram.

Zheng supostamente pode ser ouvida dizendo que ela está arrasada porque os fetos não podem ser abortados, pois eles têm sete meses de idade dentro de suas mães de aluguel. Seu pai supostamente propôs entregá-los para adoção, enquanto sua mãe acrescentou que eles nunca irão ver as crianças.

Embora o aborto seja um assunto delicado, a atitude de Zheng durante a suposta ligação e o fato de que ela supostamente considerou forçar as mães de aluguel a interromper a gravidez porque ela não quer os bebês – mesmo que possa não ser ilegal na China por conta da barriga de aluguel acontecer nos EUA – causou muitas críticas online.

Sua nomeação como o rosto da Prada na China já levantou algumas dúvidas na internet semana passada, já que muitos a veem como uma combinação desigual para a marca. Zheng ganhou fama com novelas e reality shows, e não passa a imagem ideal pela qual a marca é conhecida.

Depois que o escândalo estourou, a postagem da Prada sobre seu desfile de roupas masculinas no outono de 2021 foi preenchida com mais de 5.000 comentários sobre os escândalos, a maioria deles incentivando a marca a se distanciar de Zheng ou zombando da marca por se associar a ela.

Alguns usuários da Internet até culpam Zheng pelo declínio contínuo nas ações da Prada na semana passada e chamam Zheng de “o verdadeiro diabo veste Prada”.

Até agora, Zheng não respondeu oficialmente às acusações de Zhang, e a Prada também não respondeu ao escândalo de Zheng.

Embora muitos na indústria simpatizem com a situação da marca, alguns estão prevendo que o incidente pode ter um impacto duradouro no mesmo nível do desastre da Dolce & Gabbana na China em 2018. Na China, o conceito de família – especialmente a continuidade da linhagem – é altamente enfatizado em valores tradicionais.

As hashtags de suas certidões de nascimento e a suposta gravação tiveram 1,53 bilhão e 1,96 bilhão de visualizações no Weibo, respectivamente. Em comparação, a hashtag da coleção de roupas masculinas Prada outono 2021 teve 120 milhões de visualizações.

Fonte: WWD.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores originais e não refletem necessariamente a opinião das Coreanas de Taubaté.

MATÉRIA TRADUZIDA POR:

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: