27/05/2022

Resenha: Love Alarm (Segunda Temporada)

Nome: Love Alarm 2ª Temporada/좋아하면 울리는 시즌 2
Diretor: Kim Jin Woo e Lee Na Jung
Roteirista: Cheon Kye Young (webtoon), Lee Ah Yeon e Seo Bo Ra
Gênero: Amizade, Romance, drama
Rede: Netflix
Lançamento: 12 de março de 2021
Idioma: Coreano
País: Coreia do Sul
Onde Assistir: Netflix

Sinopse: Desejando desesperadamente provar seus sentimentos, Kim JoJo se propõe a desinstalar o escudo e fazer o app soar para seu único amor verdadeiro.

ESSE TEXTO CONTÉM SPOILERS

OPINIÃO

Tornei-me a pessoa que eu mais temia a que assistiu a segunda de temporada de Love Alarm, ou como carinhosamente apelidei drama do talarico. Quando lançou a segunda temporada, fui lá ao último episódio e avancei, só para saber com quem ela iria ficar, porque eu tinha certeza que não ia ser por quem eu estava “torcendo”, mas fui extremamente surpreendida, apesar da já saber com quem ela ficaria no webtoon, mas sabe como é esse negócio da adaptação, vai que muda né? 

Então fiz uma coisa que surpreendeu a mim mesma, ‘desdropei’ Love Alarm, eu havia parado no episódio seis da primeira temporada, aí lá fui eu assistir para chegar ao meu tão sonhado final. Fui uma das dorameiras extremante emocionadas com esse drama, eu peguei um ranço tão grande. Mas nessa resenha, vou dar minha visão geral e não simplesmente surtos de uma dorameira. 

Vou abordar um pouco do que achei sobre a primeira temporada, e aí vamos para segunda. Confesso que a história de Love Alarm me deixou um tanto desconfortável, e foi por isso que parei de assistir. Entendo perfeitamente que quem toma atitude primeiro é o que “vence”, mas no início da história, a visão que me passou foi que Jojo era o prêmio sonhado do melhor amigo e o Seon Oh precisava conquistar isso, visto que ele é acostumado a ter tudo, no processo, óbvio que ele passou a gostar dela, senão não teria se envolvido. Não podemos negar que o relacionamento deles era muito fofo, e eles ficavam muito bem juntos, mas o fato é que nenhum dos dois estava preparado para entrar em um relacionamento, me pergunto como a Jojo conseguiu se envolver com alguém, mesmo acontecendo tanta coisa na vida dela. E o Seon Ho cresceu em uma família totalmente desestruturada e que vivia de aparências, e não cresceu com o amor que deveria ter.

E no meio de tudo isso tinha o Hye Yeong, que viu a pessoa que ele gostava ficando com o melhor amigo, olha, devo dizer que se fosse eu, iria chutar o pau da barraca e não ia mais nem olhar na cara desse “amigo”, mas não, ele ficou ali e ainda tentou fazer com que os dois se encontrasse para pelo menos se resolverem. Muita gente o chama de bobão, banana, que o Seon Oh perguntou mil vezes se ele gostava da Jojo, mas assim, o Hye Yeong não era obrigado a admitir nada para ele, e convenhamos que essa pergunta nem precisaria de resposta para saber a real, né?  E todos falam como se para alguns, fosse muito fácil dizer o que sente. Se realmente fosse, o aplicativo Love Alarm nem teria sido criado. 

Com relação ao aplicativo, acho que para alguns foi uma boa, porque agora conseguiriam revelar o que sentem sem precisar dizer uma palavra, mas para outros, criaria a pressão “eu não faço o Love Alarm de ninguém apitar”, enfim, resolve uma questão e gera outras maiores. Sem contar que as pessoas colocaram sua confiança do que estão sentindo em um aplicativo e não se atentam ao real sentimento, e a maioria até se esqueceu de como identificar se realmente está gostando de alguém se não estiver com aplicativo acionado, e como a Jojo disse na segunda temporada “hoje em dia, ninguém mais diz ‘eu te amo’, é só chegar a 10 metros da pessoa e deixar o Love Alarm soar”. Espero do fundo do meu coração que ninguém ouse fazer um negócio desses (risos).

Como vimos, lá pelo episódio seis, a história já começou a focar neles adultos e cada um seguindo sua vida, porém, Seon Oh não esqueceu Jojo e vice e versa, e Hye Yeong não esqueceu Jojo, e quando ele decide finalmente se declarar e tentar a aproximação do modo tradicional, sem Love Alarm, Seon Oh indignado porque o amigo deveria ter lealdade com ele e lembrar como Jojo foi uma cretina (enfim, a hipocrisia) e Jojo querendo a todo custo tirar o bendito escudo do aplicativo dela. E aí vamos para segunda temporada.

Essa cena da bicicleta foi tudo pra mim, queria um homem desses, deus, seria pedir muito?

Enfim, chegamos à segunda temporada!

1 – PERSONAGENS

Jojo amada me ajuda a te ajudar, o tanto de estresse que passei com essa personagem não estava no script. Eu entendo perfeitamente todas as incertezas que ela sentiu. Como eu falei no início, todo mundo depositou a confiança de seus sentimentos em um aplicativo, e sem ele, as pessoas se esqueceram de como sentir e identificar seus sentimentos, então, ela se sentia perdida e achava que não poderia ser verdadeira com o que estava sentindo momento. Não queria ser injusta com o Hye Yeong, mas também morria de medo de ainda sentir alguma coisa pelo Seon Oh, porém, se fizesse o básico que era sentar e conversar, oitenta por cento dos problemas dela seriam resolvidos, mas aí não teria drama, não é mesmo?

Sua indecisão fez com os três sofressem, o Seon Oh que estava surtando, o Hye Yeong que por mais paciente que fosse, mas ninguém é de ferro, e a própria, que não sabia para onde correr. Passou a segunda temporada inteira correndo atrás do desenvolvedor para tirar o bendito escudo, para poder mostrar como se sentia verdadeiramente. 

Acho que está para nascer alguém tão paciente quanto o Hye Yeong, o menino foi guerreiro e esperou a hora de os humilhados serem exaltados. Nessa segunda temporada foi o momento dele, e a história foi toda sobre o seu esforço para conquistar a Jojo, todos os momentos em que ele estava ali para ela, e esperando o momento certo em que a moça finalmente corresponderia aos seus sentimentos, achei muito fofo quando ele disse “não precisa gostar de mim, só porque gosto de você, só queria que soubesse como me sinto”, sei que as pessoas esperam reciprocidade, mas para ele, só de ter conseguido falar como se sentia, depois de muito tempo, já estava bom, e com suas ações iria conquistá-la aos poucos. Tanto que depois ele mudou o discurso “continuarei gostando de você, mas não precisa gostar de mim! Quero dizer… Não precisa se sentir pressionada”, ou seja, ele continuaria esperando mais ainda. 

Eu gostei demais desse personagem, em dramas de romance, os roteiristas adoram colocar um homem frio, que esconde o que sente e não sabe lidar com isso, mas com o Hye Yeong foi completamente diferente, ele foi gado do início ao fim (risos).

Seon Oh voltou mimado numa versão 2.0, o que eu particularmente não gostei, porque tornou a disputa totalmente desleal, apresentaram um personagem totalmente desequilibrado e egoísta onde tudo se referia somente a ele, o Hye Yeong não tinha que ficar com a Jojo em consideração ao que ela fez com ele, Jojo precisava voltar a amá-lo de qualquer forma, Jojo ainda o amava e ela precisava provar que não, enfim, tudo era ele, ele, ele. O tanto que esse moço gritou nessa segunda temporada, eu já estava quase entrando na tele e pedindo para ele parar com o surto. Eu realmente acho que não deveria ter sido assim, ia ser bem mais legal de assistir se o personagem não tivesse esse desespero todo. Porém, é totalmente compreensível, visto a forma como eles se separaram, o Seon Oh já não se sentia amado pela família, e a única pessoa que ele realmente pôde sentir um amor recíproco foi a Jojo, e quando o alarme não soou mais, ele entrou em desespero e nunca mais conseguiu superar isso. Como eu falei, acredito que poderia ter sido de outra forma, mas Coreia não consegue deixar o clichê do ex desequilibrado de lado. E entre uma pessoa que cuida de você sem exigir “nada” em troca e outra completamente louca que só faz gritar, se desesperar e te beijar sem consentimento, o que você vai escolher, não é mesmo?

Mas também, temos um contraponto aí, a Yuk Jo, coitada, que vivia se arrastando para esse homem, por vezes eu fiquei pensando “amada, te preserva”, mas gostei que no final pelo menos isso, ele soube reconhecer. 

2 – ROTEIRO

Confesso que a história dessa segunda temporada me surpreendeu, achei bem fluida e não foi cansativa de assistir, o roteiro se propôs a um romance, amizade e drama, e os entregou perfeitamente. Sei que muita gente ficou revoltada com o final, mas confesso que achei bem coerente, história mostrou o amor de duas formas, como pode ser avassalador, mas também pode ser construído. 

A primeira temporada foi a história do Seon Oh e Jojo e a segunda foi a Hye Yeong e Jojo, o primeiro casal se formou por um impulso e atração, e eles tiveram uma história muito bonita e fofa, o segundo foi uma construção, mostrou como um relacionamento não depende só de amor, mas também de cuidado, parceria e principalmente conversar e se abrir sobre o que está pensando. O Hye Yeong fez isso muito bem todas as vezes, e até levou a Jojo quando foi na cadeia ver o pai, apesar dela ser bem falha na comunicação e outras coisas, mas também tentou fazer o melhor para que desse certo. Bem como, o relacionamento da Yuk Jo e do Seon Oh vai ser construído mais na frente, e ele disse que ia dar o máximo dele até fazer o Love Alarm dela tocar. E essa é a realidade minha gente, nem sempre o primeiro amor dar certo, com quantas pessoas você já ficou ou vai ficar até o momento de casar? O amor não tem uma fórmula, para cada um é diferente, pode ser à primeira vista, avassalador ou ser construído aos poucos, não há certo ou errado.

Acho que o roteiro não foi muito bem desenvolvido na história do Duk Goo e do irmão, entendi que ele conseguiu se recuperar e estava em coma, mas aí o irmão o manteve sob vigilância e do nada ele acordou e sumiu, mas não mostrou como ou onde ele estava, sinto que eu precisava ter visto essa parte da história para as coisas se encaixarem bem. O Brian deu andamento ao desenvolvimento do Love Alarm 2.0 e depois o Duk Goo voltou, enfim, a história ficou bem confusa de assimilar. 

Achei interessante que o enredo até trouxe um drama nessa segunda temporada também, o primeiro episódio já começou com a Jojo em apuros, claro, porque não basta ela ter sofrido horrores, e então, vimos que o cara que coordenou o suicídio em massa das pessoas que o Love Alarm não tocava, acabou sobrevivendo e vindo atormentar a Jojo também. Acho que essa história foi até que razoável e bem desenvolvida já que esse não era o foco do drama, teve inicio, meio e fim, e veio para levantar algumas questões também.

Acredito que todo mundo foi tombado porque esperava a continuação da cena do episódio oito, né? Fiquei chateadíssima por terem cortado isso. 

Falando novamente sobre o aplicativo Love Alarm, acredito que levantou um questionamento bem interessante sobre tecnologia, a dependência dela e também como muda vida e o comportamento das pessoas. Ninguém confiava mais no que sentia, não falavam mais ‘eu te amo’, e se sentiam mal quando o aplicativo não soava perto de alguém. O Seon Oh entrou em desespero porque disse que se o Love Alarm não existisse, ele teria lutado pelo amor da Jojo, mas acabou perdendo-a, acabaram deixando se levar mais pela tecnologia do que realmente confiar no que os unia.

Não sei se foi questão de tradução, mas acho que a palavra “amar” é muito forte, a pessoa sente atração por você ou algo do tipo, e o aplicativo já notifica “uma pessoa em um raio de 10 metros te AMA”, achava o significado dessa frase muito forte. E som daquele negócio apitando o tempo inteiro já estava me dando nos nervos, mas enfim, devaneios a gente vê por aqui. 

O Love Alarm facilitou em alguns pontos? Sim, porque muitas vezes diminuiu toda a “trabalheira” do flerte, mas aqui para nós, essa parte é muito legal, todos os planos e o que fazer para a pessoa perceber que você está na dela. Bem como Hye Yeong disse, “flertar era o que as pessoas faziam antes do aplicativo surgir, quando guardavam um lugar e compravam um café e passava a noite inteira se perguntando se estavam a fim de você”, ou seja, o jeito tradicional. Espero do fundo do meu coração que as coisas continuem assim, acho que a humanidade precisa dessa coisa mais íntima, além de toda tecnologia que já temos.

3 – ROMANCE

Vamos ao romance minha gente, vou me permitir cadelar, sim, não sou obrigada! Esse era o meu casal desde a primeira temporada e fiquei muito feliz quando soube que se concretizou. E fiquei mais feliz ainda quando fui assistir, o desenvolvimento do romance dos dois foi muito perfeito, foi gostoso de assistir cada passo que o Hye Yeong dava, a preocupação dele para com ela e disse que ia esperar estar pronta, por assim dizer, e isso só fez eu me iludir mais e elevar os padrões, porque olha, queria um desses na minha vida. 

Não teve cobrança, não teve ciúmes, mesmo quando o Hye Yeong viu o vídeo dos dois na faculdade e saiu correndo, eu disse logo, “pronto, ele está p*tasso e vai rodar a baiana com a Jojo”, mas não, ele saiu correndo porque se preocupou que ela estaria desesperada com toda atenção que tinha recebido, e foi nesse momento que me rendi de vez. Odeio violência, mas o Seon Oh mereceu aquele soco, para acordar de vez para vida, já estava bem difícil de aguentar as ações dele. Agora amado, segue em frente, e se quiser me amar, estou aqui (risos). 

Como falei mais lá em cima, a Jojo me deu nos nervos nisso tudo, mas claro que no final, ela decidiu conversar com os dois e expor a situação, mas o negócio de tudo, é que ela primeiro precisava se acertar dentro de si, para depois poder se acertar com os dois. Cortava o coração ver o Seon Oh sofrendo tanto e já não via a hora dela finalmente liberá-lo, e enfim aconteceu. 

Geral está dizendo que vai esquecer que a segunda temporada existiu, que o casal não teve química, que era melhor Jojo e Seon Oh terem ficado juntos, que o Jung Ga Ram é muito feio (precisa ter muita coragem para dizer isso) entre outras coisas, mas acho que além do casal final, acredito que a história como um todo tem que ser analisada para podermos falar que o drama foi ruim. Não podemos negar o desenvolvimento do casal foi muito bonito, ou vai me dizer que não queria uma pessoa que tivesse as mesmas atitudes do Hye Yeong? Se você disser que não, posso passar o número da minha psicóloga, ela atende por vídeo chamada. Ele ficava entrando e saindo do raio de dez metros só para o Love Alarm tocar! Tive vontade de entrar na tela e roubá-lo para mim.

Gostei que mostrou no final, o momento em que ela começou a gostar dele, que foi lá no primeiro episódio quando ele a levou para casa, porque como Jojo estava perdida, não sabia a partir de que momento havia começado a gostar do Hye Yeong, e a roteirista foi especifica “estão vendo? Ela começou a gostar dele desde esse momento”, o que cai por terra que o pessoal falar que Jojo ficou com ele, gostando do Seon Oh.

Não passou pela minha cabeça que ela ativou a lança para ser dissimulada ou algo tipo, mas sim por desespero em querer realmente mostrar como se sentia, o Seon Oh a fez querer ativar o escudo e o Hye Yeong a fez querer ativar a lança, no desespero, ela estava tentando ser verdadeira. Parar de gostar do Seon Oh foi uma escolha dela, errada? Talvez, mas ela escolheu isso, não que ele tenha feito algo errado, mas na vida fazemos escolhas que nem mesmo nós entendemos e é isso.

E gente, o Love Alarm do Hye Yeong tocando, foi tudo para mim, foi o meu momento, me senti tão feliz!

Enfim, meu casal aconteceu! Pode falar que não tem química, que Hye Yeong é um bocó, um banana, mas no final, todos querem um parceiro (a) que tenha o tipo de atitude que ele tinha. E ser pobre? A maioria da população é, e isso não nos impede de amar e ser amado. 

4 – AMIZADE

Uma das tags desse drama é amizade, e assim, devo dizer que você precisa ser muito desapegado para manter uma amizade como o Hye Yeong e Seon Oh mantiveram a deles, gostei que o drama não trouxe essa rivalidade. Afinal, eles cresceram juntos e confiavam muito um no outro, e no final, mostrou que apesar de tudo, a amizade deles prevaleceu e cada um entendeu a situação.

Minha nota: 8/10

CONSIDERAÇÕES FINAIS 

Gostei bastante dessa segunda temporada, mostrou a construção de um relacionamento que deu match sem um aplicativo, construiu uma coisa real e verdadeira. Não que o da Jojo e do Seon Oh não fosse, porque eles realmente se gostavam, mas os dois se deixaram levar demais pelo Love Alarm e deixaram de lado a sensação real.

Mostrou como a tecnologia por vezes pode atrapalhar a vida do ser humano, bem como quando o Duk Goo disse que a versão 2.0 iria limitar a vida das pessoas que só iam se ligar em quem iria amá-las porque estava no aplicativo e acabariam não se abrindo para o mundo real.

Pudemos perceber que o primeiro amor nem sempre dá certo e tudo bem, o importante foi ter amado e vivido o momento, e que também, precisamos olhar quem está a nossa volta e valorizar as pessoas que nos amam.

Vejam além da revolta e entendam do contexto legal que o drama quis mostrar, para uma história adolescente, eu achei que foi bem madura e mostrou algumas coisas legais, sei que muita gente queria que ela ficasse com o Seon Oh, mas o drama mostrou que não deu certo. Eu confesso que se ela tivesse ficado com ele eu nem iria assistir, porque sou uma pessoa muito rancorosa e difícil de perdoar, se ele tivesse feito isso comigo enquanto melhor amigo dele, iria querer distância, mas essa sou eu, vendo um drama com base na minha perspectiva. Mas gostei que a história foi contada de outra forma e arrisco a dizer, que foi um tanto diferente dos clichês de romance que a gente vê por aí.

E é isso, pessoal. Quem assistiu Love Alarm o que achou? Façam seus comentários e vamos conversar. Sem xingamentos, por favor! (risos)


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores originais e não refletem necessariamente a opinião das Coreanas de Taubaté.

Vivian Kelen
Vivian Kelen

Assisto dramas desde 2018 e “para todos os garotos que já amei” me trouxe até esse mundo. Minha missão nessa terra é espalhar a palavra da dramalandia. Meus dramas favoritos são Black Dog e Stove League. E não se esqueçam, amem Stray Kids.

5 thoughts on “Resenha: Love Alarm (Segunda Temporada)

  1. Ótima crítica, amei o final. Love alarm já está na minha lista de melhores dramas do ano. P.s.: onde achar um homem como o Hye Yeong meu deus?!

    1. Que bom que gostou!
      Então, também estou a procura de um Hye Yeong, onde achar? 🥲🥲🥲🥲

  2. Essa série é uma droga, foi feita pra maluco. Estou me sentindo incomodada, sentindo uma sensação ruim. Me arrependi dez mil vezes, por ter assistido, fiçamento algo ruim no ar.

    1. Bom, nesse caso, sinto até como um elogio ser chamada de maluca. Fiquei com um sensação muito boa ao terminar, senti que realmente as pessoas boas e que estão dispostas a amar tem uma chance e não perdem lugar apensas para rostinhos bonitos. Espero que sua sensação ruim passe logo, melhoras!

  3. Eu terminei o primeiro episodio e odiei:(, então tinha procurado e achei essa resenha, agora vou assistir só pra mim vê o Hye Yeong tendo seu amor retribuído. Confesso que se ela ficasse com o outro no final não assistiria, não gosto de fura olho, de verdade. Fiquei até com pena do outro que já gostava dela mas não se confessava, vou agora voltar a assistir 🙂

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: