23/05/2022

Como eu me senti assistindo o primeiro episódio de Navillera?

Desde que apertei no play do primeiro episódio de Navillera nesta segunda-feira ensolarada senti que a emoção iria tomar de conta. Começando pela tag de suicídio, senti que estava diante de um drama coreano com carinha de drama coreano, sabe? Aquele drama que emociona, que nos faz refletir, que nos faz sentir vivos e não me decepcionei. Leia até o fim e se apaixone como eu me apaixonei com esse primeiro episódio.

Estrelado por Park In Hwan, Brilliant Heritage (2020), (interpretando o Shim Deok Chul) e Song Kang, Love Alarm 2 (2021), (interpretando o Lee Chae Rok). Escrito por Lee Eun Mi (mesma escritora de Tunnel) e dirigido por Han Dong Hwa (mesmo diretor de Miss Lee). Navillera, uma história adaptada de um webtoon de mesmo nome, conta a história de dois homens em idades e condições de vida diferentes, mas que possuem uma ligação singular. A ligação? O balé. Nesse primeiro episódio fomos introduzidos à vida dos nossos principais protagonistas. A vida de privações do Shim Deok Chul que chegou aos 70 anos de idade, aposentado do serviço dos correios, acha que viveu a sua vida de modo incompleto, pois não pode viver o seu sonho de dançar balé.  Enquanto criança, o senhor Shim se encantou quando viu uma apresentação de ballet, mas foi totalmente repreendido pelo pai que disse: “O quê? Quer ser um garoto que dança maquiado?”. E foi a partir daí que o seu sonho ficou apenas nas suas vontades mais profundas, mas agora casado, aposentado e com netos, ele sente que tem que viver a vida livremente, pois os 70 anos chegou. 

“Quando vamos ficando velhos nos acostumados com despedidas”. 

Por outro lado, conhecemos a vida sofrida do Lee Chae Rok. Um jovem de 23 anos, que se divide entre trabalho de meio período em um restaurante, e entre o seu sonho de se tornar uma estrela do balé. Sua mãe era dançarina de balé, mas morreu muito jovem devido a uma doença. Seu pai foi preso. Nesse primeiro episódio não fomos apresentados claramente o motivo para a prisão. Só foi mencionado que ele prejudicou a vida de muita gente. O Lee Chae Rok tem talento para o balé, mas devido as dificuldades do dia a dia e a sua tentativa para sobreviver, como driblando os problemas financeiros, o seu amor pelo balé parece está desaparecendo. Em uma conversa com o Ki Seung Joo (interpretado pelo Kim Tae Hoon), seu técnico, onde ele comenta que a dança do Lee Chae Rok está mecânica, sem emoção e ele comenta: “Se nem você acredita na sua arte, como as outras pessoas vão acreditar?”.  Com esse turbilhão de emoções, o Lee Chae Rok conhece o Shim Deok Chul. 

O desejo escondido no coração do Shim Deok Chul renasce depois de ver o Lee Chae Rok ensaiando. Na primeira vez, o Lee Chae Rok já o ver, mas acaba que o Shim Deok Chul vai embora como se estivesse se escondendo. Na segunda vez, o senhor Shim tem coragem e fica observando o Lee Chae Rok ensaiando, até que o rapaz percebe e vai até a porta. Houve um embate de geração, e o Lee Chae Rok o senhor Shim super mal e pergunta: “O que você quer?”. E o senhor Shim diz: “Quero fazer balé”.  O que acaba causando um certo desconforto para o Lee Chae Rok. Eles nem sabem, mas aqui é o início de uma bonita amizade. 

A partir daí começa a luta do senhor Shim para ser aceito para a academia. Tanto o Lee Chae Rok e o Ki Seung Joo acreditam que é fogo de palha e que logo vai desistir. No entanto, desde o primeiro momento que o senhor Sim encontrou com o Ki Seung Joo ele demonstrou conhecimento de balé quando ele indaga: “você é o famoso bailarino Ki Seung Joo?”. Nesse momento percebemos que mesmo sem demonstrar, o senhor Shim acompanhava notícias sobre e tinha conhecimentos sobre o que estava acontecendo. É tão louco esconder um desejo com medo de ser mal interpretado, não é? No entanto, tudo muda depois que o senhor Shim tem uma conversa com o Ki Seung Joo, onde ele comenta que nunca fez nada que quis. Viveu uma vida “normal”, seguindo o curso da vida, mas nunca fez algo que realmente quis. Eu me emocionei bastante com esse diálogo. Após esse diálogo, o Ki Seung Joo propôs algo para o Lee Chae Rok que vai mudar a sua vida como pessoal e como bailarino. Ele propôs que o Lee Chae Rok ensinasse a arte para o senhor Shim. 

Sabe a tag de suicídio que descrevi anteriormente? Foi com relação a um amigo do senhor Shim. A cena foi bem sensível e escrita. O amigo até o último momento disse para ele fazer o que sentir vontade e como ele falou na última ligação para o senhor Shim: “Você não jogou fora, né?”. Senti que, embora ele não fale claramente, ele estava se referindo as recordações que o senhor Shim guardava do balé.

Assistindo esse primeiro episódio percebemos que a família do senhor Shim não vai aceitar tão bem, principalmente o seu filho mais velho, e como ele irá fazer de tudo para esconder que está aprendendo balé, pelo menos inicialmente. Teremos muito mais emoção e a evolução de uma linda amizade nos próximos episódios.

Esse drama veio para mostrar que independente da sua idade você deve fazer o que sentir vontade e que se você não fez aos 20 anos, você pode fazer aos 70 anos. O preconceito nos limita, nos coloca em caixas inimagináveis que nos fazem viver uma vida triste e sem proposito. Eu amei esse primeiro episódio de Navillera. Já estou ansiosa para conhecer os demais personagens e todas as histórias/dilemas que essa história vai nos trazer. Parece que rolará um romancezinho, mas o foco do drama é mostrar o núcleo familiar com muito drama e amizade envolvida. Do jeito que amamos. 

Ah, e ator Song Kang teve aulas de balé, ou seja, se dedicou totalmente ao papel. Não só ele, como todo o elenco desse drama é muito bom.

E você? Já assistiu o primeiro episódio de Navillera? Comente aqui o que você achou. 

O drama está disponível na Netflix. 

Até a próxima!


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores originais e não refletem necessariamente a opinião das Coreanas de Taubaté.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: