20/10/2021

Resenha: Mine

Título: Mine / 마인
Diretor: Lee Na Jeong
Roteirista: Baek Min Kyeon
Gêneros: Suspense, Mistério e Drama
País: Coreia do Sul
Episódios: 16
Exibido: 8 de maio a 27 de junho de 2021
Rede: tVN
Idioma: Coreano
Onde assistir: Netflix

Sinopse: Mine é sobre mulheres fortes e ambiciosas que superam os preconceitos do mundo para encontrar seu verdadeiro eu.
Seo Hee Soo era uma ex-atriz, mas ela desistiu de sua carreira para se casar com o segundo filho do Grupo Hyo Won. Ela faz o possível para se enquadrar como nora dessa família. Ela age com confiança o tempo todo para não perder seu verdadeiro eu.
Jung Seo Hyun, por outro lado, é casada com o primeiro filho da mesma família chaebol. Ela também é filha de uma família chaebol e é elegante, inteligente e também muito racional.

ESSE TEXTO CONTÉM SPOILERS

OPINIÃO

Quem acompanha nossas redes sociais, sabe que quando começou a divulgação desse drama, eu sempre falava que estava preocupada com o que mensagem de “mulher forte” essa roteirista iria passar, porque ela tem uma visão um tanto distorcida do que é ser uma mulher forte. E minhas preocupações estavam certas em partes, durante o drama inteiro, eu não considerei Hi Soo Seo Hyun mulheres empodaradas, mas elas realmente eram mulheres que tinham objetivos e fariam de tudo para conseguir o que queriam, e eu gostei bastante dessas personagens.

1 – PERSONAGENS

Falando um pouco sobre a Seo Hyun (Kim Seo Hyung) foi sem dúvida o destaque desse drama, ela começou de uma forma e terminou de outra, teve uma evolução bem perceptível, no início ela era toda negócios, vivia somente para comandar os negócios da casa e da empresa, não levava em consideração os sentimentos do enteado e até fez com que a sogra demitisse a Yu Yeon (Jung Yi Seo) para que ela não se envolvesse com o Soo Hyuk (Cha Hak Yeon). Eu entendo que Seo Hyun queria “preservar” os dois do sofrimento, já que o Soo Hyuk era rico e precisava cumprir o destino da família, mas ela tomou atitudes bem erradas.

Porém, tudo mudou quando ela passou a se entender um pouco mais. Essa personagem foi histórica, uma das primeiras personagens principais em um drama de 16 episódios no horário nobre que é lésbica, sim, isso mesmo, ela é lésbica. E a Seo Hyun foi um representatividade divinamente maravilhosa, sem estereótipos e “livre”, livre no sentido de que ela sabia o que era e não tinha dúvida disso, não estava arrependida e nem estava atrás de salvação. E eu amei demais isso, é difícil vermos esse tipo de personagem, e vindo de uma roteirista que estereotipou um personagem gay de uma forma ridícula em outro drama, foi bem surpreendente, acredito que ela quis se redimir por esse erro e resolveu trazer uma representatividade digna para a comunidade LGTB.

Seo Hyung teve um relacionamento no passado, mas infelizmente, ela sabia que tinha uma função a cumprir, se casar com um homem rico e unir forças. E assim fez, mas óbvio que o amor que ela sentiu nunca passou, e no decorrer do drama fomos vendo seu dilema, não pela dúvida do que sentia, mas por como sua vida está agora, e ela não poder fazer muita coisas, mas à partir do momento que ela entendeu sobre o que perdeu, foi capaz de entender e apoiar a o Soo Hyuk. A evolução do relacionamento dos dois foi bem grande e ele até passou chamá-la de mãe, coisa que nuca tinha feito. E no final, Seo Hyung conseguiu se tornar presidente e também mostrou que ela estava pronta para ir atrás de seu grande amor.

Raphael Rashid on Twitter: "Lesbian romance features in <Mine>, a new  K-drama on tvN and Netflix.… "

Voltando um pouco a temática LGBT, como eu disse, esse tema foi muito bem abordado, a personagem não estava confusa e a roteirista fez questão de deixar isso bem explícito, ela não sentia que o que estava fazendo era errado, ela era ela e tinha total certeza disso, e no final, a madre falou a frase pra Seo Hyun a seguinte frase “Eu preciso pedir desculpas em nome do mundo que a forçou esconder quem você é. Não é pecado, mas você teve que ocultar isso a vida toda, como se fosse”. Ah, como eu amei essa frase, especialmente vindo de uma personagem religiosa, obrigada roteirista! Eu gostei também quando ela contou para o marido que era lésbica e ele reagiu super de boas e deu todo o apoio e disse que não ia separar por causa disso, única coisa boa que esse homem fez e falou durante esse drama todo. (Risos)

Lee Bo Young looks elegant as a conglomerate son-in-law in 'Mine', his  acting skills reap appreciation

Hee Soo (Lee Bo Young) foi a que mais sofreu nesse drama, coitada. Viu seu mundo cor de rosa desmoronar quando descobriu as mentiras do marido. Ela até dizia que confiava nas pessoas porque quando chegavam perto dela, tendiam a mudar para conseguir sua confiança, enfim, a inocência. Mas depois que Hee Soo perdeu o bebê, decidiu rodar a baiana e se vingar do marido, e essa cena do aborto foi digna de oscar, ela juntando o sangue e tentando colocar de volta, minha nossa senhora, arrepiei e chorei junto com ela.

A mulher lutou até o final pelo filho, filho esse que não era biológico e que todo mundo fazia questão de frisar isso, “Ele não é seu filho”, mas Hee Soo pleníssima lutando e tentando manter a criança em segurança, mesmo depois que a mãe bilógica dele apareceu, ela não se intimidou em nenhum momento e depois de se recuperar do trauma, até uniram forças e fizeram um man down, esse foi o momento! Ela conseguindo a guarda do Ha Joon e ainda pedindo divórcio do traste. Musa da atuação que fingiu perder a memória, para seguir com o plano de fazer a Kátia a cega sobre quem matou seu marido. E o que foram aqueles figurinos dessa mulher? Uma mais bonito do que o outro, queria todos.

Korean Drama "Mine" (Synopsis + Cast + Preview) - Korean All Day

Como eu falei, as duas se juntaram pelo bem maior, o filho delas. Amei que não teve essa rivalidade feminina, e as duas derrubaram o Ji Young. E no final, elas criando o Ha Joon, foi tudo pra mim. Final muito bom para essas duas personagens.

Lee Bo Young Uncovers More Of Lee Hyun Wook's Secrets In “Mine” | Soompi

E o que dizer do Ji Young (Lee Hyun Wook) que se transformou mais um personagem falso? “fulano era tão bonzinho”, no início ele era o marido e pai perfeito, depois fomos tombados e descobrimos que ele não valia nada e era capaz de fazer qualquer coisa para conseguir o que quer. Confesso que por um momento tive empatia por tudo o que ele sofreu, crescer em um lar onde ninguém o amava, e o choque de descobrir que o pai não era o pai biológico dele, mas é aquela coisa, né? Se todo mundo que passou por situação difícil agir da forma que ele agiu, aí fica complicado.

2 – ROTEIRO

Achei o roteiro de Mine, bem novelão mexicano, o negócio já começou com mistério, morte e desgraça, tudo o que mais gostamos, e isso nos prendeu bastante para saber quem tinha morrido e o que tinha acontecido. A mãe que estava morta, mas voltou para ser tutora do filho, relacionamento do patrão com a empregada, um negócio muito louco, mas no final, eu me senti um pouco desapontada por todas as expectativas que tinha.

Como falei, esse roteiro me decepcionou um pouco, acredito que criou muita expectativa, mas acabou não cumprindo, o mistério girou em torno de quem tinha morrido, e depois que descobrimos, ficamos querendo saber quem matou, e depois que foi mostrado, eu fique pensando “ah, foi isso? Então tá”, não sei, mas eu esperava mais, até as próprias circunstâncias do assassinato foram bem estranhas, acho que eles quiseram colocar a empregada como “assassina” só para não usar ninguém da família, mas acredito que se tivesse mostrado até que foi o Jin Ho que havia matado o Ji Young, teria sido mais interessante.

Mine" (2021 Drama): Cast & Summary | Kpopmap

Outro ponto que me desmotivou bastante foi o relacionamento do Soo Hyuk e da Yu Yeon, os teasers do drama e matérias, fizeram muito barulho porque diziam que íamos ver o relacionamento do patrão com a empregada, novela mexicana está vindo aí! E no final, eu fiquei esperando e praticamente nada aconteceu, senti que esse casal não foi bem explorado, eles poderiam ter dado mais entretenimento para nós em cima disso, sei que o foco eram as mulheres, mas tinha tempo hábil para bolar algo melhor, eles tiveram pouquíssimo tempo de tela, até o noivado e casamento dos dois, meio que aconteceu do nada e fiquei me perguntando que parte eu tinha perdido.

Cha Hak Yeon And Jung Yi Seo Get Up Close And Personal In “Mine” | Soompi

Mas o ponto bom é que relacionamento deles serviu para a Seo Hyun refletir e respeitar a vontade do Soo Hyuk, mesmo sabendo que aquilo poderia prejudicá-la, afinal, a presidência da empresa iria ficar para o seu inimigo Ji Young.

Confesso que esperava mais da freira também, a mulher super misteriosa, estava ali o tempo inteiro, era psicóloga dos ricos, sabia de todos os podres, mas no final, foi só mais uma personagem que não entregou muita coisa, e que até desistiu de ser freira. Eu também esperava mais da história da bolsa, não vou negar, alguma história cabulosa, já que a bolsa parecia que era outra personagem desse drama. Já viram que eu estava toda cheia das expectativas, né? Mas apesar de tudo isso, não acho que Mine foi um drama ruim, eu ficava extremamente ansiosa para assistir os episódios e surtei a cada minuto, foi ótimo acompanhar esse drama.

3 – O DRAMA DA RENDIÇÃO

Eu senti que tirando o Ji Young, para resto, a roteirista quis que todos evoluíssem, eles começaram de uma forma e mudaram, a maioria dos personagens eram insuportáveis, e eu queria dar um soco em cada um (risos), mas no fim todo mundo ficou bonzinho, enfim, os panos. Eu odiava o Jin Ho, pensa em um personagem que toda vez que aparecia eu me tremia inteira, chegou a bater no filho e quase bateu na empregada, mas a Seo Hyung impediu, aí no final, ele tomou jeito, virou dono de casa, moço direito.

A empregada que sempre grava tudo para ter algo contra a família, também acabou evoluindo e ficando do lado deles, e ela foi até o “grande” plot twist desse drama matando o Ji Young.

Jin Hee (Kim Hye Hwa) também evoluiu, passou de uma mega insuportável para apenas insuportável, as cenas dela carregando a raiva nas costas foram hilárias. Soon Hye (Park Won Suk) era outra personagem que me dava nos nervos toda vez que aparecia, a mulher só sabia gritar, surtar e querer bater nos outros, mas no final, até se sentiu culpada pela morte do Ji Young, como eu disse, enfim, os panos.

4 – ATUAÇÃO EXCELENTE DA OK JA YEON

Mine" (2021 Drama): Cast & Summary | Kpopmap

Vamos falar da Lee Hye Jin (Ok Ja Yeon)? Que atuação incrível! Ela foi de uma louca com olhar assustador a uma mãe amorosa, e depois se transformou totalmente, eu simplesmente amei a atuação dessa mulher. De início eu pensei que ela tinha voltado para pegar o dinheiro e a criança, mas depois vimos que ela só era uma mãe desesperada e que não sabia o que fazer. A cena dela indo bater na mulher por causa do filho, minha nossa, que cenão maravilhoso. Ela vestindo a roupa da Hee Soo e depois agindo como se nada tivesse acontecido, enfim, essa atriz foi brilhante nesse drama e depois até passei pano, não nego.

5 – POLÊMICA COM A PERSONAGEM LGBT

Para quem não estava acompanhando o drama na época, houve uma polêmica com a atriz que fez a personagem da Suzy, ela é cristã e o marido é um cantor gospel, e os internautas estavem pedindo um posicionamento com relação a sua esposa, e o homem teve a brilhante ideia de se posicionar com a seguinte frase ” Minha esposa e eu somos contra a homossexualidade”, e disse que as personagens eram só marketing barulhento, o que revoltou muito gente por causa de susas falas homofobicas. Ele então apagou o post que fez fom relação ao assunto.

Ou seja, a esposa dele foi bem cuidadosa a aceitar o papael, porque sabia que não teria contato físico e nem interações, enfim, o ano é 2021 e ainda estamos esperando a sociedade evoluir com certos tipos de pensamento.

Confira a matéria completa aqui.

Minha nota: 9/10

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Word-of-mouth reversal, Korean drama "Mine" hits a new high in ratings -  iNEWS

Mine foi um drama muito bom de acompanhar, com uma temática relevante, atuações maravilhosas. Com uns problemas aqui e ali, mas nada que ofusque o roteiro. Os figurinos dos personagens foram maravilhosos, a fotografia do drama, tudo muito bom, tanto que conseguiu alcançar uma audiência bem boa na Coreia.

No final, foram mulheres gloriosas que estavam tentando proteger o seu tudo a todo custo, que foi uma coisa que eu percebi, que o “É tudo meu” se referia ao que elas estavam tentando proteger, seja filho, amor ou dinheiro. Mine é um drama que eu recomendo bastante, e falo que tire suas conclusões.

Assim que o drama terminou, fizemos uma live para fazer nossa resenha sobre o drama, para quem quiser assistir o vídeo está aqui embaixo:

E é isso, pessoal? Quem assistiu Mine o que achou? Deixem seus comentários e vamos conversar.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores originais e não refletem necessariamente a opinião das Coreanas de Taubaté.

Vivian Kelen
Vivian Kelen

Assisto dramas desde 2018 e “para todos os garotos que já amei” me trouxe até esse mundo. Minha missão nessa terra é espalhar a palavra da dramalandia. Meus dramas favoritos são Black Dog e Stove League. E não se esqueçam, amem Stray Kids.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: