31/01/2023

Resenha: Somebody

Nome: Somebody/썸바디
Diretor: Jung Ji Woo
Roteirista: Han Ji Wan
Gênero: Mistério, Suspense, Drama
Rede: Netflix
Estreia: 18 de novembro de 2022
Idioma: Coreano
País: Coreia do Sul
Onde Assistir: Netflix

Esse texto pode conter spoilers

No dia 18 de novembro a Netflix lançou o seu drama original somebody, o drama foi lançado completo com 8 episódios dublado. Mas do que se trata Somebody? Kim Sum interpretada por Kang Hae Lim é desenvolvedora do aplicativo de conexão social “Somebody”. Mesmo tendo dificuldade em se comunicar com outras pessoas, ela é amiga de Im Mok Won interpretada por Kim Yong Ji e Yeong Gi Eun interpretada por Kim Soo Yeon. Sua amiga Yeong Gi Eun trabalha como detetive.

Ocorre um assassinato e o aplicativo “Somebody” está envolvido no caso de assassinato. O arquiteto Seong Yun Oh interpretado por Kim Young Kwang aparece na frente de Kim Sum e seus amigos. Seong Yun Oh é um homem atraente, mas parece estar escondendo algo. Enquanto isso, Yeong Gi Eun investiga o caso de assassinato com a ajuda de Im Mok Won.

Alerta spoiler, a partir daqui pode conter alguns spoilers sobre a trama, então se você ainda não assistiu e pretende assisti-lo, sugiro que não prossiga. Mas um resumo do que eu achei desse drama, eu simplesmente amei, nota zero. Um drama raso, sem conteúdo nenhum e que só fez eu perder meu tempo.

Então vamos lá, como eu já falei anteriormente, somebody é um drama péssimo. Eu entendi a proposta que ele quis trazer, que foi mostrar duas pessoas com psicopatia e que como nem todos os psicopatas vão ser serial killers, mas a execução dessa ideia foi péssima.

De um lado temos Kim Sum que foi diagnosticada com síndrome de asperge, tanto que logo no início eu fiquei em dúvida se ela era realmente psicopata, mas depois tivemos a cena dela tentando enforcar a mãe quando criança e essa dúvida que eu tinha se dirimiu completamente.

A gente foi acompanhando a Kim Sum e vendo que ela tinha dificuldade de se relacionar com as pessoas, ela era quieta no canto dela e o único “amigo” que ela tinha era o Somebody, que ela projetou para guardar as coisas que ela falava e conversar com ela como se fosse uma pessoa de verdade mesmo. No início, somebody foi projetado para responder pelas pessoa tímidas em uma sala de bate-papo, ele gravaria as palavras que a pessoa tentou digitar, mas apagou, e a digitaria por ela para fazer sua voz ser ouvida, mas a ideia era tão interessante, que uma programadora investiu nela e tornou o Somebody em um aplicativo de namoro e assim Sum foi seguindo a vida, como diretora do aplicativo.

E aí já temos nosso primeiro ponto negativo, apesar de a história ser contada praticamente do ponto de vista da Kim Sum, a personagem não teve uma profundidade, eu não consegui entendê-la muito e achei que faltou mais contexto, contar sobre a infância, as dificuldade que ela enfrentou e tudo mais, acho que se tivessem feito isso, o drama não seria tão raso quanto foi. Tudo sobre ela foi tão raso que até acabou confundindo algumas pessoas que acham que ela não era psicopata.

Por que todo serial killer tem que usar esse óculos?
🌚🌚

De outro lado, temos Yun Oh, o bendito serial killer, a gente viu que ele usava o aplicativo de namoro somebody para atrair suas vítimas, e nisso, ele tinha um grande aliado, porque por mais que soubessem que o encontro tinha sido marcado pelo aplicativo, mas a empresa responsável se negava a dar os dados da conta dos usuários e em tese, quando uma conta era desativada, eles não guardavam o histórico dessa pessoa. E era isso que o Yun Oh fazia, toda vez que ele matava, ele desativava a conta e fazia outra. Ele era um arquiteto, bem sucedido e fora de qualquer suspeita. Até que ele dá match com a Sum e os dois se envolve, por algum motivo ele não a mata, porque os dois tiveram uma “conexão”.

E aí já temos mais pontos negativos, eu entendo perfeitamente que o drama quis mostrar que psicopatas também podem ter “conexões afetivas”, nem que seja da forma deles, mas eles podem ter, mas ao meu ver, isso foi romantizado demais. Tenho quase que certeza que você aí na sua casa em algum momento deve ter torcido para ela ficarem juntos e que a Kim Sum magicamente curasse a psicopatia dele (por isso que eu digo que a psicopatia foi romantizada). Histórias que retratam serial killers precisam ser bem pensadas e escritas com todo cuidado, justamente para não haver romantização de uma coisa tão séria, mas me decepcionei muito com esse roteiro, e ainda mais vindo da Coreia, a gente sabe que roteiros coreanos podem ser excelentes, mas não foi dessa vez. E ainda digo mais, isso foi um prato cheio para as manas que mandam cartas para serial killers que foram presos. E também acho até essa conexão deles foi pouco explorada, faltou mais contexto, ela apenas disse “ai, finamente encontrei alguém como eu” e foi isso, eu entendo que talvez para ela e para ele também, eles encontraram iguais, pode ser um grande achado, mas para a história não ficou legal.

Outro ponto negativo, não teve uma investigação policial, durante o drama inteiro, apenas no finalzinho a policial começou a se movimentar, mas a gente não viu nada, até porque mesmo, aquele final, olha sem condições, mas vou falar sobre o final mais para frente.

Uma personagem que me irritou demais foi a Gi Eun, a amiga da Kim Sum, ela é uma policial que sofreu um acidente e teve que usar cadeira de rodas. Ela marcou um encontro com Yun Oh e por pura sorte saiu viva, porque pelo o que deu para perceber, ela não era o perfil de vítima que ele matava. Mas ainda sim foi atrás e conseguiu encontra-lo de novo no aplicativo e marcou um encontro, ela foi lá e não avisou a ninguém, mesmo ela sendo da polícia, não deixou ninguém de sobreaviso, o que eu acho inadmissível. E óbvio que ele fez uma armadilha para ela, marcou um encontro em um local que iria ser demolido, e ela lá parada no meio das vielas e mesmo sendo avisada que o local ia ser demolido, ficou lá. E no meio de tudo isso, eu já estava me tremendo de raiva da burrice dessa mulher. E quando eles finalmente se encontraram, eu penso que ela ia dizer algo mais incisivo, ela pergunta “por que você me abandou?” Eu sinceramente joguei minha toalha e soltei a mão dessa mulher. A coisa que eu mais tenho ranço é de personagens burros, será que ela ainda não tinha percebido que ele era uma pessoa perigosa? Mesmo depois de ter visto os vídeos dele com o menino. Nesse momento era para eu ter parado de assistir a esse drama, mas prossegui.

Uma outra coisa que achei extremante de péssimo tom e perigosa, foi relacionar a psicopatia com coisas sobrenaturais. Eu entendo que tem muita gente que acredita em energias negativas, espíritos malignos e tal, mas como eu disse ainda pouco, é preciso ter cuidado ao se fazer uma história que envolvam psicopatas e serial killers, a população já tem um imaginário de achar que tudo é coisa do demônio, que é só fazer um exorcismo e está tudo certo, então quando se mistura essas duas coisas, temos uma receita muito perigosa, e precisa se ter responsabilidade.

Falando em coisas sobrenaturais, pra mim, a única personagem aproveitável foi a Xamã, além de linda e maravilhosa, parece que foi a única sensata dali, mas também não foi bem aproveitada, nada nesse drama foi bem aproveitado, como já deu para perceber.

Agora falando de pontos positivos, não posso deixar de fora de engrandecer o elenco, Kim Sum e Yun Oh foram maravilhosos, tiveram uma performance incrível, às vezes quando ele aparecia com aquela cara de maluco, eu ficava com medo, confesso, a atuação dele foi muito fidedigna.

A Kang Hae Li que fez a Kim Sum foi convincente também, as expressões vazias dela, até os momentos de choro, tudo nela foi excelente. Eles tiveram uma química muito boa, isso não podemos negar.

Outro ponto positivo foram as cenas hots, não posso negar que gosto de “potaria”, e as cenas foram muito bem executadas. Mas aí mesmo tempo que gosto, eu acho um desperdício, porque uma química de milhão dessas com uma atuação de bilhões, em um drama que realmente fosse bom, ia ser muito mais aproveitada, mas infelizmente é isso que temos para hoje.

E sobre o final, eu achei capenga demais, o fato dele ter morrido pelas mãos dela não despertou reação nenhuma minha, e acho que que não deu sensação nenhuma de justiça para as vítimas, acho que também deveriam ter focado mais nisso. O auge pra mim é Dorameira morrendo de pena por ele ter morrido porque achavam que ele realmente gostava da Sum, minha gente, psicopatas não amam, ele poderia querer estar com ele por um benefício próprio, e por achar que ela era igual a ele e os dois poderiam sair por aí matando todo mundo juntos, mas não porque realmente a amava.

Enfim, um drama capenga, com diálogos rasos, sem muita fundamentação, personages sem aprofundamento nenhum. Quem esperou que tivesse um grande plot twist sobre a vida do Yun Oh ou algo mais surpreendente do que gatilhou ele a começar a matar, quebrou a cara, porque nem isso o roteiro soube trazer.

Eu acho engraçado quando digo que o drama foi péssimo, o primeiro argumento da Dorameira é o seguinte “mas quem só gosta de romance, realmente não vai gostar desse drama”. Não é o fato de só gostar de romance, o negócio é que a história é péssima, que não dá para se aproveitar nada.

Minha nota realmente seria zero, um drama que não recomendo, mas se ainda sim você tiver coragem para assistir, lhe desejo forças porque vai precisar. Só lhe peço que não romantize a situação porque isso não é nem um pouco legal.

E é isso minha gente, quem assistiu a esse surto o que achou?

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: