31/01/2023

Resenha: She and Her Perfect Husband

Esse texto pode conter spoilers

Não queria escrever sobre She and Her Perfect Husband porque quando você escreve, acaba se tornando real que o drama finalmente terminou.

Eu preciso dizer que amei esse c-drama, mas quando vi o final, pensei logo “muita gente vai se frustrar e reclamar”. Mas eu gostei muito e achei justo, eles começaram o relacionamento ao contrário, casaram e depois foram se conhecendo, e querendo ou não, aquilo era uma farsa, o Yang Hua sabia muito bem o que queria, e apesar da Qin Shi também saber, ela não queria admitir e por isso que ela precisava de um tempo consigo mesma para analisar toda a situação e se entender. E como o Yang Hua é muito sensato, ele sabia disso e resolveu se afastar, e também se aproximar no momento certo.

Eu sendo um pouco mal, achei merecido o sofrimento da Qin Shi (Deus, me perdoa) porque era ela muito orgulhosa. Eu fiquei aqui gritando quando o ex dela pediu que ela ficasse com ele, e ela disse que não porque já era casada. Mulher, o que custava tu dizer que não ia ficar com ele porque amava o Yang Hua e queria ficar com ele? E tudo isso pelo simples fato dela não querer admitir que sentia algo. Pois o Yang Hua foi lá e deu um empurrão e fez ela sofrer um pouco. A ex dele também deu uma ajudinha.

Óbvio que eu queria casamento no final, porque sou dessas, como eu com certeza nunca terei um, preciso ver minhas fics sendo realizadas na vida alheia, nem que seja na ficção. 🤣🤣🤣

Mas desde o início, She and Her Perfect Husband vinha se mostrando um roteiro muito sensato, então, eu acho que o final foi de acordo com o sensatez do roteiro.

Assim como o drama, minha resenha começou de trás pra frente, eu falei do do final do drama, porque eu sei que isso frustrou muita gente, pois então agora, vamos começar do início.

O casal foi excelente, Xu Kai e Yang Min tiveram muita química e souberam expressar isso muito bem. Os personagens foram perfeitos, eu amei que apesar do Yang Hua ser prático e evitar relações sociais, e ser um “frio” com todo mundo, ele sempre foi um amor com a Qin Shi, desde o início ele nunca a tratou mal ou com frieza, e sempre fazia de tudo para que ela se sentisse bem.

Eu amei a personalidade da Qin Shi, uma mulher forte e de negócios, com pensamento rápido no seu ambiente de trabalho e super respeitada por onde passava, mas em casa era um Deus nos acuda, ela era desorganizada, não sabia cozinhar e não fã de tarefas domésticas, e está tudo bem, porque mulher não precisa ser perfeita em tudo.

Eu gostei dessa inversão de papéis no drama, ele era o multitarefa, que podia trabalhar fora e ainda cuidar da casa, e ela era o “homem” da casa. E os dois simplesmente se completavam, e eu gostei que o roteiro colocou várias falas sobre isso, e tentou deixar bem explícito “vamos normalizar isso, minha gente! O homem também pode cuidar da casa, ele também pode se sacrificar para cuidar da família enquanto a mulher está lá no emprego”.

E sem contar que o roteiro bateu bastante na questão o machismo, não só na sociedade, mas também no ambiente de trabalho. E de como a sociedade trata a mulher, e de como ela espera uma mulher se “comporte”. Tanto que o objetivo principal da Qin Shi era mudar a regra de que para assumir tal cargo na empresa a pessoa precisa estar casada. No final, ela conseguiu esse objetivo, e eu fiquei muito feliz. Outro ponto também, foi o caso final, as mulheres se uniram para fazer um man down no homem assediador, pra mim foi perfeito, alguém avisa!

Sobre os personagens secundários, eu sempre digo que em c-drama é 8 ou 80, ou você vai amar ou odiar, e eu simplesmente odiei, pulei as cenas do casal secundário, e revirava os olhos toda vez que a Fei Fei aparecia, oh, menina insuportável. Aquele irmão da Qin Shi era um embuste sem tamanho, o auge pra mim foi ele ter dado remédio para a mulher engravidar sem nem ela saber, e tudo isso porque a mãe dele prometeu que daria um carro caso ele tivesse um filho. Pra mim foi a gota d’água, achei extremamente desnecessário esse casal secundário, mas como o casal principal foi só mimo, eu relevei.

No geral, eu achei um roteiro bom, com um casal principal maravilhoso, que trouxe mimos sem fim. Muitos diálogos bons, que deram umas alfinetadas básicas da sociedade, não só chinesa, mas também num geral. Eu amei acompanhar, até assinei o WeTv para assistir ao drama de manhã assim que acordasse, acompanhei em andamento e surtei muito, foi uma ótima experiência.

Deixo com vocês o meu diálogo favorito da trama inteira, a Qin Shi perguntou para o Yang Hua se ele não sentia por ser privilegiado pela sociedade por ser homem, e ele respondeu da seguinte maneira:

Os genes dos homens na verdade são bem frágeis. Biologicamente , a taxa de atrito genético é muito maior do que a das mulheres. E também, com educação equivalente, o desempenho das mulheres não é pior que o dos homens. Além disso, qual a principal tarefa para o ser humano sobreviver? Passar adiante seus genes. Mesmo que você tenha descoberto a verdade do universo, se não houver ninguém para dar à luz seus filhos, seus genes desaparecerão da história. É completamente inútil. Além disso, homens gastaram milhares de anos reprimindo e enganando as mulheres, tentando prendê-las dentro de uma cerca. Esse tipo de confinamento é muito mais frágil do que imaginam. Em menos de centenas de anos, as mulheres se libertaram completamente. E nos tempos da internet, os homens não estão mais sozinhos nas posições de domínio, então, não há nada em que se orgulhar em ser homem.

Habla 🗣️🗣️🗣️🗣️

E aí meu povo? Quem já terminou She and Her Perfect Husband o que achou?

One thought on “Resenha: She and Her Perfect Husband

  1. Nossa! Vi até o sexto episódio. Já não estava naquele apego com esse C-drama. Nem vou terminar.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: