27/05/2022

A Revolta de ‘Do You Like Brahms?’

CONTÉM SPOILERS DOS EPISÓDIO 14

Texto da revolta porque estou indignada!

Como as pessoas acham que podem manter um relacionamento sem conversar? ISSO É IMPOSSÍVEL! Ao fazer esse tipo de coisa, você não blinda a pessoa e nem a deixa sem preocupação, só vai fazê-la se sentir uma besta e idiota, por todo mundo saber o que se passa na sua vida, menos ela. Isso é típico de drama e não muda nunca, que clichê mais rançoso e que me deixa indignada.

Eu só quero que Song Ah siga a vida dela, nos momentos que ela mais precisou, não pôde contar com a pessoa que queria, e além de todos os problemas, ela ainda tinha que lidar com um relacionamento que estava deixando-a ansiosa e atrapalhando toda sua vida. “Ah, mas ele estava com problemas também”, ele que lute, porque se tivesse conversando com a namorada dele, quem sabe poderia ter sido um pouco mais fácil de lidar.

Apesar de toda a raiva que estou de “Do You Like Brahms?” Esse drama é pisão atrás de pisão da personagem principal, e eu quero dar um abraço nessa roteirista, por ter feito essa personagem dessa forma. Isso aplacou todo o meu ódio!

O drama veio para dar um pisão nos clichês de término, eu pensei que ia ficar com mais raiva ainda, mas a cena foi um alívio ao meu coração. Ahhhhhh, segue essa fala maravilhosa de amor próprio! Gostaria que todos conseguissem enxergar como ficar em relacionamento assim, pode lhe fazer mal. Pense em você primeiro, Do You Like Brahms? Deu uma lição com classe:

“Vamos terminar! Não posso mais fazer isso. Estou com dificuldades, Joon Young. Me sinto ansiosa, estou magoada e hesitante. Quero fazer tudo direito, tocar bem violino e estar bem em nosso relacionamento, mas acho que há coisas que apenas não funcionam. Eu percebi isso agora, por causa de meus sentimentos que estão sobre sua influência, sinto que tudo se tornou uma bagunça, não quero mais isso.
Quero voltar à época em que me sentia menos ansiosa, era difícil e as pessoas me magoavam, mas pelo menos eu estava indo para algum lugar, pelo menos sabia o meu destino, quero voltar a isso. Queria me apoiar em você, mas como fazer isso quando você é mais instável que eu?
Tentei entender seus sentimento pela Kyung, foi complicado quando você disse que não a ama mais, mas por que não consegue afastá-la? Ao contrário de mim que sou apenas uma espectadora, deve ser mais difícil para você. Eu me consolei, mas você me disse uma vez: “Tudo bem pensar somente em você, não pense nos outros”. Então agora, estou pensando em mim, me machuquei demais tentando te entender, e não quero mais isso. Quero focar só em mim, é muito difícil te amar, não me sinto feliz”.

E nesse momento, toda minha raiva foi diminuindo, vocês conseguem perceber o quão isso é importante? Uma fala dessa vindo de uma personagem feminina é suma importância, é bem diferente de outros dramas, que as mulheres se sujeitam a cada coisa e sacrificam sua saúde mental para estar em um relacionamento que faz mal. Eu agradeço muito a roteirista por ter colocado essas falas, foi muito importante.

A PARK EUN BIN ESTÁ LEVANDO ESSE DRAMA NAS COSTAS, e se você discorda, discorde aí na sua casa. A mulher não entra em drama qualquer, passando a amá-la cada vez mais.


One thought on “A Revolta de ‘Do You Like Brahms?’

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: